O Rei do Gado: Luana relembra abusos e revela porque ainda é virgem. “Sempre me quiseram à força”

Jovem afirma que quando decidir se entregar a um homem vai escolher


23 de novembro de 2022

Foto: Reprodução Globo

Por Ana Lígia Amaral

Nos próximos capítulos de O Rei do Gado, Luana (Patrícia Pillar) fará revelações fortes sobre os abusos sexuais sofridos durante a sua juventude. Durante conversa com Donana (Bete Mendes), a empregada lhe faz uma pergunta íntima. “Olhando procê, uma moça tão bonita, tão vistosa, é difícil de acreditar naquela história, que ocê tendo vivido sozinha nessa vida ainda não seja mulher”.

A jovem confirma que ainda é virgem. “Donana pode acreditar que é verdade. Eu nunca me dei pra ninguém”Donana quer saber o motivo. “Porque sempre me quiseram pegar à força. E o dia que eu quiser ter um homem na minha vida, eu vou escolher”. A empregada diz que ela está certa. “Senão você pica ele no facão”. Luana assente. “Pico”. A prosa prossegue e Donana pergunta como foi o primeiro abuso que ela sofreu.

A jovem resiste, dizendo que não gosta de lembrar do assunto, mas acaba contando. “O primeiro, a mulher dele me tirou da rua. Eu tava perdida na vida”. Ela lembra que botou as mãos para o céu quando teve uma cama quentinha para dormir, deram a ela banho, comida, roupa. “Ela disse que ia me adotar, que eu ia ser filha deles, que eu ia para o colégio, parecia que eu tava sonhando, parecia que era a minha família”.

Foto: Reprodução Globo

Luana lembra que certo dia estava tomando banho e ouviu uma mexida na maçaneta, ela conseguiu ver que era o marido da mulher que a adotou. Mas dessa vez não contou nada. "Mas depois ela soube, quando eu quase arranquei as orelhas dele. Eu dei uma dentada nele numa noite que entrou no meu quarto e tentou me pegar”.

Donana fica apavorada. Luana conta que quando a patroa foi levar o marido ao hospital, ela fugiu. A empregada quer saber como foi a segunda vez que ela sofreu assédio sexual. “Eu nem lhe conto... O segundo eu quase arranquei as coisas dele, Donana”. A empregada fica de boca aberta.