O Cravo e a Rosa: Cornélio vira “anjo salvador” de Dalva e Candoca após livrá-las de golpe milionário

Ele expulsa advogado e põe ordem no ato da assinatura para recebimento da herança


11 de junho de 2022

Foto: Reprodução Globo/Montagem

Por Ana Júlia Amaral

Nos próximos capítulos de O Cravo e a Rosa, Cornélio (Ney Latorraca) salvará Dalva (Bia Nunnes) e Candoca (Míriam Freeland) de perderem a sua fortuna. Sem experiência com negócios, a dona da pensão pede para o marido de Dinorá (Maria Padilha) acompanhá-la na assinatura dos papéis para a liberação da herança de seu ex-marido. Enquanto Dalva vai até a casa de Cornélio buscá-lo, Candoca chega antes no local marcado.

Serafim (João Vitti) não perde tempo e fica dando em cima da moça. O advogado Ursulino (Henrique César) mostra-se ansioso pela chega de Dalva. Mas ele faz cara de decepção ao vê-la chegar com Cornélio. “Ah, a senhora não precisava trazer ninguém, eu sou homem de absoluta confiança”. Cornélio já vai entrando e se dirigindo até a mesa. “Se é de confiança, não se incomoda com a minha presença, né?”. Logo, pergunta se pode dar uma olhada nos papéis.  

Quando Cornélio pede para pegar a pasta, Ursulino tenta disfarçar e diz que colocou alguns documentos por engano. Já sacando algo estranho, o marido de Dinorá diz que ele mesmo irá verificar. Ursulino não disfarça o nervosismo. Cornélio vai entregando os papéis que Dalva deve assinar, até que vê um bastante suspeito, lê e desmascara Ursulino. “Esse aqui se você assinar perde toda a sua herança”. Dalva fica pasma.

Foto: Reprodução Globo

Cornélio explica que o “salafrário” do Ursulino fez uma procuração dando plenos poderes a ele. “Assine só a sua herança e mande esse homem pra rua”. O advogado tenta se “explicar”. Mas Cornélio diz para ele sair, antes que chame a polícia. “E os meus honorários? Eu tinha estipulado em 30%”. Cornélio o xinga, dizendo que isso é um roubo. “Não vai ganhar nenhum centavo. E tem mais, eu vou contar centavo por centavo da herança da prima Dalva”.

Ele praticamente expulsa o advogado da sala. Dalva respira, aliviada após o susto. “Ah, Cornélio. Eu fico muito grata”, fala ela. Cara de pau, Serafim diz que foi muito bom Cornélio ter vindo porque as salvou de um salafrário. E fala que não tinha percebido as más intensões de Ursulino. “Se fosse mais esperto, teria percebido, jornalista Serafim, não é?”, alfineta Cornélio. Ele pega todos os papéis e diz que ficarão com ele. “Aqui fica garantido”. Ele dá as mãos para Dalva e Cornélio, que ficam bastante agradecidas.