Cara e Coragem: Pat sofre ao ser “esquecida” por Moa após acidente. “Cadê a Andréa?”

O dublê acorda no hospital com amnésia depois de grave queda provocada por Danilo


06 de novembro de 2022

Foto: Reprodução Globo/Montagem

Por Luciana Marques

Nos próximos capítulos de Cara e Coragem, Moa (Marcelo Serrado) acorda no hospital sem se lembrar dos acontecimentos recentes de sua vida após sobreviver a uma queda grave durante briga com Danilo (Ricardo Pereira). E quem vai sofrer muito é Pat (Paolla Oliveira). A dublê estará ao lado do amado quando ele despertar, inclusive contando a ele que denunciou o vilão para a polícia. “Ele podia ter matado você, meu amor”, diz ela, que faz um carinho em Moa.

Nesse momento, o rapaz vai abrindo o olho devagar e reconhece Pat, que se emociona. “Você acordou! Graças a Deus! Como você tá?”. Ele diz que um pouco zonzo e pergunta onde está. A dublê explica que ele está internado no hospital. “Que bom te ver. Mas, cadê a Andréa?”. Pat se surpreende com a pergunta. E ele insiste, querendo saber se alguém a avisou que ele está lá. Pat fala que ele está confuso e é para não falar muito e se acalmar. Moa quer saber como ele foi parar lá.

Pat pede para ele fazer um esforço, mas o rapaz afirma que não lembra de nada e que a cabeça dói muito. Pat diz para ele descansar, que ficará ali ao lado dele. Mais uma vez, ele diz para ela avisar Andréa, que deve estar preocupada com ele. A dublê fica cada vez mais ressabiada com o pedido. Um tempo depois, ele dorme, e Pat também adormece ali. Até que escuta ele chamar pelo filho. “Calma. Chiquinho está bem. Está com os meus filhos”. O dublê se acalma. “Alfredo está cuidando deles?”, fala ele.

Pat explica que a mãe dela e o pai de Moa estão com as crianças. “O Alfredo... O Alfredo é um cara de sorte”, diz ele. Pat não entende. “É. Por ter uma mulher como você”, diz. A dublê vai se dando conta de que o amado não lembra que estão juntos e pergunta o que ele sabe sobre os dois. “Eu e você?”. Pat  fica na expectativa. “Nós dois somos a melhor dupla de dublês do mundo”. Pat se assusta. Instantes depois, ela conta o que houve para o médico. “Ele lembra de mim como amiga, mas não tá se lembrando de mim como a companheira, a namorada dele”.

O doutor pergunta quando os dois se tornaram um casal e Pat diz que não faz muito tempo. O neurocirurgião explica que o trauma pode ter afetado as estruturas responsáveis pela memória e que há as de longo prazo, consolidadas no córtex, e as mais recentes. “As memórias mais recentes dependem de uma estrutura cerebral frágil. E com um traumatismo como o do Moa, essa estrutura pode ficar atordoada e perder a capacidade de acessar essas memórias mais recentes”.

Pat ouve tudo atenta, com os olhos marejados. Ela pergunta se é pra sempre. O doutor diz que fará uns testes com ele, mas que acredita que Moa se encaixe num quadro de amnésia pós-traumática. “Vai passar, mas esteja preparada, Patrícia, porque não tem regra, não tem prazo, nem tratamento específico”. Pat suspira, tentando assimilar tudo e buscando coragem para encarar o amado, sem ser reconhecida por ele como namorada. E ainda ter que chamar Andréa (Maria Eduarda de Carvalho) para vê-lo.