O Rei do Gado: Luana vai para a cama com Bruno e dorme nos braços do patrão

O pecuarista admite que a jovem está mexendo demais com ele


06 de dezembro de 2022

Foto: Reprodução Globo

Por Ana Lígia Amaral

Nos próximos capítulos de O Rei do Gado, Luana (Patrícia Pillar) dormirá na cama com Bruno (Antônio Fagundes). A ex bóia-fria não conseguirá mais tirar o patrão da cabeça, desde que trocaram beijos à beira do rio. O pecuarista também pensa na jovem, mas não sabe como lidar com a situação. À noite, num ímpeto, ela bate na porta do quarto do milionário. Sem jeito, Bruno se desculpa pelo o que aconteceu durante a tarde. “Mas eu gostei”, diz ela, que abre um sorriso. O pecuarista diz que se ela gostou, ele amou. “Mas não faz sentido só por causa de uma bobagem”, fala ele.

A moça fica séria e afirma que não foi bobagem. Bruno se aproxima e acaricia o rosto de Luana. “Que que ocê quer de mim?”, pergunta ele. A ex sem-terra sorri novamente e o surpreende. “Eu quero só dormir...dormir quieta... nos teus braço”. Amanhece, e a jovem está deitada na cama com o patrão, nos braços dele. Ela desperta, abre os olhos e fica olhando para o rosto de Bruno, ainda dormindo. Depois ela se levanta, acarinha a mão dele e deixa o quarto, discretamente. Instantes depois, ela já está diante de Donana (Bete Mendes), que percebe que a jovem não dormiu em seu quarto.

 Luana acaba confessando tudo o que aconteceu. À princípio, a empregada não acredita que não houve nada entre eles. Mas acaba mexida com o que escuta a jovem contar. “Ele me acarinhou, conversou muito comigo, me deixou dormir nos braços dele, mas foi só isso, ele não buliu em mim não”. Donana pergunta se ela queria mais. E Luana diz que sim. “Eu tinha escolhido ele para ser o primeiro homem da minha vida”. A moça pede para a empregada não contar nada a ninguém.

Foto: Reprodução Globo

Donana lembra que se contasse, ninguém ia acreditar. “Será que o terror das currutelas ficou frouxo”, fala a doméstica. Luana não entende, e Donana pede para ela esquecer o que disse. “Vai ver que ele já gostou tanto de ocê que não se atreveu a lhe fazer mal”. Luana quer saber que “mal”, mas a amiga diz que é jeito de falar. No quarto, Bruno diz a si. “Meu Deus, não acredito que isso tenha acontecido. Onde estou com a cabeça para deixar que as coisas cheguem a este ponto? E agora, o que eu faço com ela?”.

Em nova conversa, Donana vê Luana triste e pergunta se ela está se sentindo rejeitada pelo patrão. “Donana não faz ideia do quanto me custou ter ido no quarto dele”. A empregada diz ter ficado espantada de ele não ter querido dormir com a jovem. Luana garante que nunca mais fará isso. Já Bruno, pede a Zé do Araguaia para impedir Luana de sair da fazenda. Ao encontrar a o patrão, ela diz ter gostado de ele não ter ido embora. “Eu queria lhe agradecer por ontem... O seu respeito, eu não devia ter ido bater no seu quarto. Foi maluquice minha”.

Foto: Reprodução Globo

Bruno diz que foi maluquice dele tê-la deixado entrar. “Eu não sei o que o senhor pode estar pensando”. Ela afirma não estar pensando nada. Mas ela garante estar envergonhada. O ricaço a surpreende. “Olha, eu gosto de ocê. Eu não sei o porquê, mas eu me preocupo com ocê. Eu não quero mais saber de você voltar para ser andarilha, nem volte para o corte da cana, eu não quero voltar aqui e não encontrar você”. Ela pergunta quando tempo ele volta. “Se eu pudesse, eu não saia mais daqui”, afirma ele. Luana o encara e volta para a cozinha. “Não bata mais no meu quarto, pelo amor de Deus, Luana”, diz Bruno a si.