Série israelense Cidade de Refúgio é a mais nova estreia do Globoplay

Trama aborda a realidade de refugiados que buscam asilo e se deparam com submundo inescrupuloso


  • 23 de maio de 2020
Foto: Globoplay/Divulgação


Nesses tempos de quarentena, as pessoas têm aproveitado o tempo em casa consumindo muito audiovisual, “maratonando” produções de diversas plataformas de streaming. E a cada dia, surgem novidades nos catálogos. O Globoplay, por exemplo, acaba de disponibilizar para os assinantes a sua mais nova série: Cidade de Refúgio. A trama investigativa tem como pano de fundo a realidade dos refugiados que buscam asilo e se deparam com um submundo repleto de pessoas inescrupulosas.

Na história baseada no best-seller homônimo de Liad Shoham, uma ativista social que luta pelos direitos dos refugiados em Tel Aviv é assassinada e um dos principais suspeitos é Gabriel (Seam Mongoza), um rapaz africano que foi visto saindo de seu apartamento. A jovem policial Anat Sitton (Hani Furstenberg) lidera a investigação do crime e desvenda um mundo complexo de políticos corruptos, crime organizado e acordos ilegais. E isso tudo a coloca no centro de um universo perigoso que é moldado por moral e códigos próprios.

Foto: Globoplay/Divulgação

PROTAGONISTA DA SÉRIE, SEAN MONGOZA VIVEU COMO UM REFUGIADO

O protagonista da série, Sean Mongoza, e sua família sabem bem como é a vida de um refugiado. Ele nasceu e viveu no Congo até os cinco anos. Quando ainda era um bebê, nos anos 90, seu pai saiu de casa em busca de um lugar mais seguro para morar com a família diante da realidade de sua terra devastada pela guerra.

Ele voou para o Egito e cruzou a fronteira para Israel. Depois de quatro anos separados, Mongoza e sua mãe seguiram para o país e se juntaram a ele. Os três viveram por anos com vistos temporários e, só aos 21 anos, o ator conseguiu a carteira de identidade israelense.

Maratona de clássicos: Reveja A Favorita, Tieta e Laços de Família

Ana Petta, a Dra Laura: “Entendi a importância e a beleza do trabalho na atenção básica à saúde”



Veja Também