Valentina Bulc, a Bia: “Eu era sedentária, vou levar a atividade física para a vida”

No ar na trama das 7, atriz diz que shippa muito #Biantino e exalta entrega dos ginastas


  • 28 de fevereiro de 2020
Foto: Vinícius Mochizuki


Por Luciana Marques

*Veja a entrevista completa no vídeo, abaixo.

Após sua estreia na Globo como a Belinha, em Malhação: Viva Diferença, Valentina Bulc, de 20 anos, não parou mais. Ela foi escalada para a série Eu, a vó e a Boi e agora está no ar com um papel importante em Salve-se Quem Puder. Na trama de Daniel Ortiz, ela vive a ginasta Bia, a mocinha do núcleo jovem. “Somos muito parecidos, na questão do alto astral, de querer ser feliz, curtir a vida. Mas o que ela tem de diferente é que ela é muito insegura nesse lugar do namoro”, conta.

Aliás, em nova parceria com Daniel Rangel – eles fizeram par na série Eu, a vó e a Boi -, o casal Bia e Tarantino já é dos mais shippados da novela. “Eles são românticos, fofos”, fala. Um dos desafios de Valentina foi a preparação para as cenas da ginástica, afinal, Bia é a sensação em salto sobre cavalo, apesar de ela ter tido que se afastar do esporte por conta de um problema no coração. Mas a atriz, que sempre foi sedentária, revela que agora levará para sempre a atividade física em sua vida.

E como está sendo repetir par romântico com o Daniel Rangel? É muito doido, porque eu e o Dan acabamos de fazer a série (Eu, a vó e a Boi) em que a gente era par. E aí chamaram a gente pra fazer a novela. Mas os casais são completamente diferentes. A Demimur e o Roblou é um casal e a Bia e o Tarantino é outro. Mas é legal porque eu e o Dan, a gente já se conhecia, já tinha uma química, uma relação, então foi muito mais fácil a gente viver agora a Bia e o Tarantino. E é um casal muito apaixonante, acho que o público vai shippar muito, porque eles são muito fofos. É um casal romântico, você vê que tem amor...

Foto: Globo/João Miguel Junior  

Há muitas semelhanças entre você e a Bia? É engraçado, a gente tem muita coisa parecido. Essa coisa de ser positiva, alto astral, de querer ser feliz, curtir a vida. E estar sempre sorrindo, ser uma boa amiga. Eu acho que uma coisa que a gente tem de diferente é que a Bia ainda é muito insegura, esse lugar do namoro, do garoto, pra ela é muito novo. O que ela se garante na ginástica, ela não se garante no relacionamento amoroso. Para ela é um território muito difícil, ela tem medo de se apaixonar. Nisso eu já sou bem diferente dela.

Ela era muito apegada à Kyra, né? A família era muito unida, porque eles já tinham perdido o pai. A mãe abraçou e teve que acolher os três filhos, é uma família muito bonita. E quando a Kyra “morre”, o mundo cai pra todos eles. Quando a gente gravou a cena em que eles souberam da morte foi muito forte. E é muito difícil de a Bia lidar com isso, ela tinha perdido o pai, agora a irmã, que era a melhor amiga, a confidente dela...

Foto: Globo/João Miguel Junior  

E como está sendo viver uma ginasta, fala um pouco sobre a preparação... A preparação da parte da ginástica foi bem complicada (risos). Eu fiquei um pouquinho nervosa porque não sou uma ginasta, não sou atleta e eu tinha zero preparo físico pra isso. Então eu comecei a malhar muito, fiz dieta, entrei numa academia, o que eu sempre odiei. Mas aí eu comecei a malhar com o Ricardo Lapa e me apaixonei por aquilo, comecei a comer de forma mais saudável, porque eu comia muito errado. E, paralelo a isso, a gente fez uma preparação de ginástica mesmo. A gente ia toda a semana,  ficava horas treinando, alongando, aprendendo a dar estrela, mortal, conversando com os atletas, entendendo a rotina deles, os termos técnicos... E foi importante a gente entender isso, porque a ginástica literalmente é a vida deles. Eles treinam de manhã, à tarde, nesse meio tempo fazem academia, fisioterapia. Eles treinam de segunda a sábado. E foi interessante para saber como isso é importante para a Bia...

Vai querer continuar praticando ginástica? Não, ginástica não dá, eles começam muito cedo, a minha dublê comeceu aos 3 anos, a Bia aos 50... Eu estou com 20 (risos). Mas uma coisa que eu vou levar para a vida é a atividade física. Eu era muito sedentária e agora encontrei um prazer absurdo nisso.

 

Daniel Rangel sobre Tarantino e Bia: “Um casal apaixonado, que promete”

Thiago Fragoso: “O Alan não sorri e a Kyra traz essa leveza que faltava na vida dele”



Veja Também