Segundo Sol: Luiza é absolvida do crime de assassinato

Em novo julgamento da DJ, Miguel conta que é Beto Falcão


  • 01 de agosto de 2018
Foto: Globo/João Cotta


Em se tratando de João Emanuel Carneiro, mais emoções estão por vir em Segundo Sol. Em capítulo a ser exibido no fim de agosto, finalmente, Luzia (Giovanna Antonelli) será absolvida do crime de assassinato, ocorrido há quase 20 anos, em Boiporã.

Luisa Arraes, a Manu: “Nas ruas, só me falam, perdoe a Luzia”

Segundo Sol: Luzia é presa na frente de Ícaro e Manu

BETO APARECE COMO TESTEMUNHA SURPRESA

No tribunal, Luzia já está sendo julgada novamente. Ali, sentados próximo à mãe, Manu (Luisa Arraes) e Ícaro (Chay Suede), além de Cacau (Fabiula Nascimento) e Groa (André Dias), todos muito nervosos. Seu Belmiro dos Santos, a testemunha que mentiu há 18 anos, depõe em favor de Luzia.

Mas para espanto de Karola (Deborah Secco) e Laureta (Adriana Esteves), que também estão na plateia, Beto surge como testemunha surpresa. Elas até tentaram armar para ele não aparecer, mas deu errado. Beto conta como conheceu Luzia e faz a grande revelação.

“Ela me conhecia pelo nome de Miguel, sim... Mas meu verdadeiro nome é Roberto. Roberto Falcão, mais conhecido como Beto Falcão”, conta ele.

Depois de narrar cada momento da farsa, ele diz que está ali por causa de seu amor por Luzia. “Eu assumo meu erro, por isso tô aqui, eu sim cometi um crime, enganando a todos... Mas Luzia não, aquilo foi um acidente! Ela agiu pra me defender, não pra matar Edilei! Ela é inocente, a justiça precisa ser feita!”, pede ele.

Com toda a movimentação no tribunal após a revelação, o juiz pede para Beto ser detido e levado à delegacia pelo crime de falsa identidade.

LUZIA É ABSOLVIDA: “ACABOU, MEUS AMORES, ESTOU LIVRE”, DIZ AOS FILHOS

Após o testemunho de seu amor, Luzia e os familiares aguardam nervosos a sentença. “O júri decidiu por unanimidade que a ré agiu em legítima defesa”, diz o juiz.

Em lágrimas, e ainda sem reação, a DJ olha emocionada para os filhos. “Tendo em vista a injustiça sofrida pela ré, que agiu em legítima defesa, absolvo Luzia Batista do crime de homicídio qualificado do qual foi pronunciada”, completa o juiz.

“Eu posso ir pra casa, doutor Guerra? Eu tô livre?”, pergunta ela ao advogado. “Completamente livre, Luzia!”, responde ele.

Nesse momento, Ícaro e Manu correm e abraçam a mãe, assim como Cacau e Groa. “Acabou, meus amores! Acabou! Não acredito que esse pesadelo acabou...”, vibra Luzia. “Acabou, mainha... Você tá livre!”, emenda Manu. “Não tem mais que se esconder, minha mãe!”, diz Ícaro. “Só falta Beto pra minha felicidade ser completa...”, diz Luzia.

 



Veja Também