Regina Polivalente: “Odeio o preconceito com as ex-chacretes”

Nos 30 anos da morte do Chacrinha, ex-dançarina relembra fase


Foto: Arquivo Pessoal

No ano em se completará, em junho, 30 anos da morte de Abelardo Barbosa, o eterno ícone da TV Chacrinha, uma de suas dançarinas na época lembra com saudades da fase. “Foi uma das experiências mais importantes da minha vida. Chacrinha, como um pai, me ensinou muita coisa que levo até hoje em minha vida”, lembra Regina Magalhães, de 53 anos.

Já os fãs da atração irão lembrar dela pelo seu nome artístico: Regina Polivalente. Em plena forma, ela, que também é ex-atleta de corrida do Flamengo, quer voltar à mídia. E, dessa forma quer homenagear Chacrinha. Pensa até em fazer um curso de teatro. Moradora da comunidade carioca do Vidigal, atualmente ela trabalha na área comerccial de uma produtora de eventos.

Foto: Arquivo Pessoal

Chacrete por acaso

"Ser chacrete aconteceu por acaso, não era meu sonho, mas sim de várias outras meninas da minha idade. Mas eu fui com muito orgulho. Foi uma das experiências mais importantes da minha vida. Chacrinha, como um pai, me ensinou muita coisa que levo até hoje em minha vida. Pensando nisso, e escutando meus amigos, que sempre perguntam o porquê de eu não voltar à mídia, já que me pareço tão jovem e bonita, que resolvi trabalhar um pouco mais um nome artístico que tenho tanto orgulho”.

Teatro

“Eu não perco oportunidades e não fujo de trabalho. Inclusive, quando o Chacrinha faleceu, eu estava fazendo curso de atores com Atílio Ricco, mas eu não pude continuar”.

Foto: Arquivo Pessoal

Clube do Bolinha

"Assim que o Chacrinha morreu, fui convidada para dançar no Clube do Bolinha, mas só dancei por três programas. Era em São Paulo e para mim ficava muito complicado ir toda semana. Trabalhei desde os 18 anos, sou formada em educação física, fui secretária, trabalhei em lojas, fui executiva de contas de dois jornais, e há 9 anos estou na área comercial de uma produtora de eventos. Sempre trabalhei duro e, quando fiquei desempregada, ajudei meu amigo em barraca de praia, por muitos verões. E, sempre que ele precisa, estou lá.”

Homenagem a Chacrinha no Carnaval

“Fui um dos destaques da Grande Rio e ouvi muitas pessoas falando de como estou bem. Ouço muito que sou uma das ex-chacretes que continua muito bonita, mas acho outras lindas também. Tem amigos que me chamam de mulher vinho, quanto mais velha melhor fica, e outro me chama de rainha do formol. Eu me cuido e tenho a sorte da minha genética ajudar (risos).”

Xô Preconceito

“Odeio polêmicas e odeio que pensem que todas nós fomos profissionais do sexo. Sempre digo que todas tiveram a mesma oportunidade. Eu escolhi estudar, me formar, trabalhar. Se alguma delas escolheu outra opção, não julgo, cada uma tem sua vida. Já recebi propostas indecentes sim, mas cabe a cada um aceitar ou não. Deus já nos deu uma vida para cuidar, por isso só cuido da minha."

Foto: Reprodução Instagram

Mesma forma dos 16 anos (65kg em 1,76m)

"Como sou ex-atleta e formada em educação física, o exercício faz parte da minha vida. Gosto de me cuidar sim, mas sem excessos. Para mim, ir à academia é natural. É uma rotina como tomar café, almoçar e jantar. Mulheres e homens me perguntam qual é 'meu segredo', mas eu sempre digo que treino todos os dias, corro na praia, mas que o segredo mesmo é ser feliz e ter uma boa alimentação.”

"Não bebo de jeito nenhum, como legumes e verduras com frango, carne magra e muita batata doce. Batata frita eu só voltei a comer depois que comprei um air fryr. Tomo alguns suplementos, whey protein, glutamina, creatina, colágeno, tudo com o acompanhamento de um médico especialista. Também misturo farelo de aveia, farinha de linhaça e farinha de chia nos meus alimentos."