Orgulho e Paixão: Ema apoia Ernesto após tragédia familiar

Ele briga com Virgilío, e irmão vilão atinge acidentalmente o pai deles, que morre


  • 01 de setembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


Os pombinhos Ema (Agatha Moreira) e Ernesto (Rodrigo Simas) nem bem casaram, mas ainda viverão fortes e trágicas emoções até o “final feliz”. Ainda brigado com Ema, ele escuta uma conversa dela com as amigas Elisabeta (Nathalia Dill) e Jane (Pâmela Tomé) na Fazenda Ouro Verde.

As irmãs comentam sobre a suspeita de ter sido Virgílio (Giordano Bechelini) que atirou em Elisabeta, a mando de Xavier (Ricardo Tozzi). E os dois também seriam os autores do ataque à Mariana (Chandelly Braz). Nisso, Ernesto entra, e fica chocado com o que ouve. “Isso que estão falando é verdade? Foi meu irmão que atirou em você, Elisabeta? E esfaqueou Darcy? Meu irmão... um matador?”, indaga.

Aparvalhado, com lágrimas nos olhos, ele é amparado por Ema. “Meu irmão, Ema... Machucando assim nossas amigas e atacou Darcy... Virgílio nunca foi flor que se cheire. E Luccino havia me dito que ele estava cada vez mais embrenhado nas baixarias de Xavier. Mas... Ser capaz de fazer coisas como essas?”, pensa.

E fala em direção a sua amada, Ema. “Você tem toda razão de achar um erro se casar comigo! Olha de onde eu vim. Olha que sangue corre em mim. Olha o que um irmão meu é capaz de fazer!”, diz. “Não, não foi um erro, meu amor. Eu te amo!”, fala ela. Irado, ele soca a parede e sai dali furioso deixando a amada e as amigas preocupadas.

Orgulho e Paixão: Camilo e Jane se mudam para casa de Julieta

Orgulho e Paixão: Lady Margareth mira punhal em Elisabeta

TIRO DE VIRGÍLIO MIRA ERNESTO, MAS ATINGE O PAI DELES, GAETANO

Após ameaçar Otávio (Pedro Henrique Müller), pedindo para ele ficar longe de Luccino, Gaetano (Jairo Mattos) procura Virgílio no galpão de Xavier. Tudo porque Nicolleta (Rosane Goffman) está triste de viver longe de seus “bambinos”. Nisso, chega Ernesto, consternado. Tomado de fúria, ele imprensa Virgílio contra a parede, sem dar tempo a ele de reação.

E começa a gritar. “Desgraçado! Você tentou matar Elisabeta e Darcy, torturou Mariana? Confessa, bandido, confessa!”, pede. Gaetano pede para eles pararem. “Teu filho mais velho é um assassino!”, diz Ernesto. “Cala tua boca! Pra estar agastado assim... Tua esposa descobriu que se casou com um mariola?”, debocha Virgílio.

O malvado gargalha. Eles se atracam, e Virgílio tenta pegar o machado. Mas Ernesto vê e chuta longe. “Cuidado pra eu não cortar tua língua com isso!”, avisa o irmão mais novo. “Não é minha melhor arma. Sou bom mesmo é de alvo. E o próximo vou fazer em Elisabeta e Ema juntas! Assim, dou um alívio àquela graça de Baronesinha! Se livrar do marido loroteiro que arrumou!”, devolve Virgílio.

Gaetano continua pedindo para eles pararem. Nisso, chegam Ema e Luccino. Eles conseguem puxar Ernesto, Virgílio fica no chão, até que se levanta e tira a arma do coldre. Todos se assustam. Ele aponta para Ernesto. Quando vai atirar, Luccino se põe entre eles. Nessa hora, Gaetano grita: “Mios bambinos... Nãoooooooooooo”, e se atraca com Virgílio.

Nessa hora, se escuta um estampido. Todos ficam em silêncio. Os joelhos de Gaetano dobram e o seu corpo desmorona, atingido pelo tiro. Para terror de todos, ele fica ali, estirado no chão. Virgílio foge, e Ernesto grita, desesperado pelo pai. “Não há mais tempo, cuidem de sua mama”, diz Gaetano, antes de dar um último suspiro.

EMA CONFORTA ERNESTO E PEDE PARA CUIDAR DELE

No quarto do casal na Fazendo Ouro Verde, Ernesto chora encolhido no colo de Ema. “Me perdoe, Ema, por ter sido chucro no últimos dias. Mas sou a maior vítima de mim mesmo. Olha o que acabei causando”, diz ele. “Você não causou nada, meu amor. E se alguém tem responsabilidade aqui, é Virgílio. Seu irmão apontou a arma pra você”, diz Ema, confortando seu amor.

Com os olhos injetados de tanto chorar, Ernesto atesta. “Eu me perdi, Baronesinha”, diz. Nisso, Ema faz uma declaração apaixonada e de força ao seu amor. “Perder-se também é jeito de se encontrar. Perca-se quantas vezes for, eu te acho. Tantas vezes você já cuidou das minhas feridas. Agora é minha hora de acalmar esse coração rebelde... E se eu puder pavimentar um pouquinho dele com o que sinto por você... Saiba que é o maior amor do mundo. Me deixe ficar ao seu lado nessa hora, por favor”, pede.

Com o olhar enternecido, o italianinho agradece. “É tudo que mais desejo. Te amo, esposa. Obrigado por me tirar do escuro. Não aguentaria além de tudo te perder, não saberia viver sem você, eu...”, fala, emocionado. Aninhando a cabeça dele em seu ombro, ela diz: “Shhhhhh... Você nunca correu esse risco, meu amor, nunca, jamais... Shhh... Eu te amo, mais que tudo... Shhh...”, garante ela, confortando o marido, que chora de soluçar.



Veja Também