Orgulho e Paixão: Aurélio pede a benção de Camilo

Antes de se unir à Julieta, ele vivencia fortes emoções


  • 17 de setembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


Enquanto Julieta (Gabriela Duarte) e Jane (Pâmela Tomé) se preparam para o grande dia, os respectivos noivos, Aurélio (Marcelo Faria) e Camilo (Maurício Destri), também se arrumam, entusiasmados.

Camilo se veste em seu quarto na Fazenda Bittencourt, cantarolando, quando vê Aurélio entrar. "Podemos dar uma palavra? Uma conversa de homem pra homem, ou melhor, de noivo pra noivo?”, pergunta ele.

Orgulho e Paixão: Julieta e Jane se preparam para grande dia

Orgulho e Paixão: Elisabeta é dopada e teme por seu bebê

CAMILO PARA AURÉLIO: “BENÇÃO CONCEDIDA. DONA JULIETA ANDA FELIZ COMO NUNCA ACHEI SER POSSÍVEL”

Camilo o recebe com carinho. “Chegou em ótima hora, dê sua opinião. (ele mostra a gravata) Que acha? Muito extravagante? Alguma chance da noiva fugir do altar quando me vir?”, brinca Camilo.

Aurélio diz que ele tem que abusar da juventude e, depois, lhe faz um pedido. “Você é jovem, e os jovens têm obrigação de serem extravagantes. De ousarem, levarem os limites das coisas adiante. Mas, apesar de você ser muito mais jovem que eu, me sinto na obrigação de pedir sua bênção, como filho de minha noiva”, diz ele.

Camilo sorri. “Bênção concedida. É uma honra ter como padrasto um homem bom, justo que, ao contrário do meu pai, ama, admira e respeita minha mãe como ela merece. Dona Julieta anda feliz como nunca imaginei ser possível”, ressalta o jovem.

Aurélio pondera que Camilo também tem sua conta no momento tão pleno de Julieta. “Você também é responsável pela felicidade dela. A redescoberta da maternidade, a alegria de ser avó, transformaram sua mãe”, fala.

No meio da conversa, Camilo emociona o padrasto. “Mas você a amava antes. Viu nela algo que nem eu nem ela mesma havíamos visto porque é bom. E os bons se reconhecem”, assegura ele. Os dois se comovem e se abraçam.

BARÃO PARA AURÉLIO: “VOCÊ NÃO PODE HERDAR MEU TÍTULO DE BARÃO, MAS, DE NÓS DOIS, SEMPRE FOI O MAIS NOBRE. É O MAIOR ORGULHO QUE PODERIA TER TIDO”

Após a conversa com o enteado, Aurélio vê o pai, Barão (Ary Fontoura), solitário, na sala. “Papai, que está fazendo aí, sozinho?”, pergunta. “Esperando, o que mais resta para um velho fazer? (suspira) Está feliz?”, indaga ele, ao filho.

“Ah, papai, estou”, responde Aurélio. Antes mesmo do filho continuar, ele o interrrompe. “Já sei a resposta, está com cara de menino que ganha sua primeira bicicleta, que ganha o primeiro beijo da namorada, que consegue empinar a pipa pela primeira vez. Só o vi com essa cara de bobo no dia em que se casou com a mãe de Ema”, lembra Barão.

Aurélio ressalta que a vida sempre surpreende a todos. “Eu a amei muito. A vida me tirou minha esposa cedo mas me abençoou com um novo amor”, diz. “Não tive a mesma sorte, mas também me sinto abençoado. Ainda tenho muito pelo que viver!”, conta Barão. “E eu tive alguma responsabilidade nesse seu apego tardio pela vida?”, questiona Aurélio.

E Barão emociona o filho. “Está se referindo ao casamento? Ah, já o aceitei. Julieta lhe faz feliz, o que mais um sogro pode pedir à nora? Sim, seu casamento é outra razão para aproveitar os anos que me restam, com minha família aumentada”, diz o velho senhor. “Papai, não sabe como me emociona ouvi-lo falar assim”, resssalta Aurélio, com lágrimas escorrendo pelo rosto.

Mesmo com seu jeito rabugento de sempre, Barão não consegue segurar a emoção. “Que isso, lágrimas? Não sabe que homem não chora? Muito menos o filho de um barão do Império. Nossa posição pede certa compostura e... (ele desaba, chorando). Ah, não escute esse velho ranzinza. É tudo bobagem, Aurelinho! Você não pode herdar meu título de barão, mas, de nós dois, sempre foi o mais nobre, o mais garboso, de bom coração e generoso”, orgulha-se o Barão.

Sem deixar Aurélio falar, ele continua... “Por tanto tempo fiquei frustrado que você não tivesse meu tino pros negócios, nem a vontade, mas hoje em dia... Demorei, eu sei, mas hoje tenho certeza de que não trocaria nenhuma de sua qualidades por isso. Nem mesmo qualquer de seus defeitos, meu filho. Você é o maior orgulho que poderia ter tido, meu valoroso Aurelinho”, diz, comovido. E os dois choram, ali, juntos, pouco antes da cerimônia.



Veja Também