O Tempo Não Para: “Dote” gera confusão entre Sabino e Samuca

Em noivado, Marocas diz que não se casará se pai insistir com o assunto


  • 15 de novembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


Ai, esse Dom Sabino (Edson Celulari) é uma figuraça. Depois de inventar um pedágio em plena Freguesia do Ó, gerando buzinadas e congestionamento no local, ele surpreende agora Samuca (Nicolas Prattes).

Como acontecia antigamente, ele faz questão de pagar ao genro o “dote”, pelo casamento dele com Marocas (Juliana Paiva). “Dom Sabino, isso não se usa mais há um tempão”, diz o jovem. “Meu caro Samuel, eu tenho aprendido tantas coisas com você. Coisas novas que eu nem sonhava que existissem...”, diz Sabino, e logo Samuca fala que também aprende muito com ele.

O Tempo Não Para: Os planos de Marocas e Samuca para o futuro

O Tempo Não Para: Samuca pede Marocas em casamento

SABINO SOBRE SAMUCA NÃO ACEITAR O DOTE: “POIS A SUA RECUSA ESTÁ RECUSADA”

Mas Sabino fala firme e insiste no dote. “Mas não me venha querer ensinar as regras de conduta social e familiar. Nisso eu tenho muito mais experiência do que o senhor, que mal saiu das fraldas!”, diz. “Dom Sabino, não precisa ofender...”, fala Samuel. “Samuel, você ama a minha filha, certo?”, pergunta ele. “Mais do que tudo na vida...”, diz o empresário.

“Deseja mesmo casar-se com ela?”, continua ele. “Não tenho dúvida”, afirma Samuca. “Pois então... Eu lhe dei o meu consentimento de bom grado. Entreguei a minha joia mais preciosa em suas mãos. O dote, o senhor vai aceitar, por bem ou por mal!”, fala ele, firme, e Samuca ali, passado.

Logo chega Carmen (Christiane Torloni) tentando ser conciliadora. “Sabino... Meu filho... Vocês vão precisar se entender. Achar um denominador comum...”, diz ela. “Me desculpe, mas eu não posso aceitar”, diz Samuca. “Pois a sua recusa está recusada!”, afirma Sabino. “Meu amor, eu falei tanto que isso não ia dar certo”, diz Carmen ao amado.

Samuca fica surpreso. “Então você sabia dessa história de dote?”. “Sim, meu filho. Eu tentei demover o Sabino dessa ideia, mas ele é teimoso, como a filha dele, minha querida nora”, diz ela. “Futura nora, isso se o seu filho não continuar se opondo aos valores de nossa família, dos quais eu não abro mão”, fala Sabino. “Dom Sabino, eu não vou mais discutir com o senhor, até porque a sua decisão tá tomada”, fala o jovem.

“Pronto. Assim é que se fala”, festeja o patriarca dos Sabino Machado. “Espera só pra ver a reação da Marocas”, imagina Samuca.

MAROCAS PARA SAMUCA: “COM DOTE, EU NÃO ME CASO”

Marocas está na mansão dos Sabino Machado e reage quanto Agustina (Rosi Campos) fala do dote. “Mas isso é impensável nos dias de hoje!”, diz a jovem. “Uma boa soma irá garantir o futuro de vocês”, fala Agustina. “Minha mãe, o Samuca e eu trabalhamos”, fala ela. “Inté demais... Nem sei como vão arrumar tempo de fazer filho”, diz Cesária (Olívia Araújo), que também está ali. “Eu ainda nem me casei, Cesária”, pondera Marocas.

“E só irá se casar se aceitar o dote”, avisa Agustina. “Eu não sou uma mercadoria para ser empurrada ao Samuel com um agrado. Eu não aceito”, fala ela, firme. “Eu me recuso a discutir com você nesses termos, Marocas. É uma turrona igual ao pai!”, diz Agustina, e Marocas fica ali, passada.

No outro dia, Agustina está tricotando. E Marocas e Samuca sentados juntinhos, “noivando” como antigamente. “Espero que você não tenha aceitado o dote”, fala Marocas baixinho para ele. “E alguém consegue impedir o seu pai de fazer alguma coisa?”, responde Samuel. “Com dote, eu não me caso”, avisa a jovem. “E se eu investisse o valor na Kikinico?”, propõe Samuca.

“Saiu-se bem, Samuel, mas eu já lhe disse que não quero mais ajuda. Estamos buscando investidores externos”, diz ela. Ainda durante o “noivado”, Agustina continua tricotando, até que cochila. Marocas puxa Samuca, e eles vão saindo dali, pé por pé. Mas a matriarca aguarda com o próprio ronco. “Aonde pensam que vão?”, quer saber. “Pegar um copo d’água, mamã”, disfarça Marocas.

“Tô com a boca seca”, fala Samuca, pigarreando. Agustina aponta uma jarra de água ali do lado e manda ele se servir. Ela continua no tricô, e os pombinhos, super desconfortáveis. No outro dia, já na Samvinta, Marocas brinca com o amado. “Espero que o noivado não o tenha traumatizado. Era assim...”, diz ela. “De jeito nenhum. Eu já tô acostumado”, fala ele.

Marocas avisa que precisa falar com o pai, mas quando tenta sair da sala de Samuca, ele a breca, sério. “Daqui não passa”, diz o jovem. “O que é isso?”, ri Marocas. “Pedágio. Aprendi com Dom Sabino. Só que, no caso, eu cobro em beijo”, diverte-se ele. “Maroto”, diz ela, que logo o beija.



Veja Também