Mika Guluzian: “Não topo qualquer trabalho por fama ou dinheiro”

Atriz de Pacto de Sangue quer direcionar carreira para mercado de séries da Espanha


  • 31 de outubro de 2018
Foto: Divulgação


Por Luciana Marques

*Entrevista também disponível em vídeo, abaixo.

Diferentemente do que acontece com qualquer ator em início de carreira no Brasil, a paulistana Mika Guluzian teve a sua estreia na TV em novelas mexicanas, aos 17 anos. Após passar em um teste, atuou em tramas de sucesso daquele país como Ninã de Mi Corazon e Soy Tu Fan. “Sou muito feliz por ter iniciado a minha carreira lá, porque era o que eu queria na época”, conta.

Hoje, aos 29 anos, já vivendo novamente no Brasil, Mika está no elenco da série policial Pacto de Sangue, do canal pago Space. Na trama, ela vive a personagem Mari, que tem uma família problemática e acaba se envolvendo em drogas. “Mas no decorrer da história ela vai ficando mais valente e se arrisca a fazer as coisas que julga corretas”, conta.

Fã de séries, a atriz festeja o aquecimento do gênero no país e em todo o mundo. Tanto que o seu desejo é direcionar a carreira para o efervescente mercado da Espanha. “Não tenho medo de fazer escolhas que sejam opostas ao que o mercado brasileiro gosta”, ressalta.

Foto: Pupin & Deleu

O que mais instigou você ao participar de Pacto de Sangue? 

O fato da história contar uma realidade no Belém do Pará foi a primeira coisa que achei interessante. Sempre vemos São Paulo, Rio e Nordeste. A segunda, os temas que a série aborda, todos os núcleos têm situações fortes e polêmicas.

Fernanda Machado vive delegada na guerra do tráfico em Impuros

Cristina Lago estreia três séries: “Mercado mudou”

Como você definiria a sua personagem?  

A Mari é mais forte do que ela pensa, porém a mãe é alcoólatra e está sempre dopada por remédios, o pai não dá a atenção e o carinho que ela merece. Por isso ela acaba se envolvendo com drogas para tentar chamar a atenção.

O que ajudou você a criar a composição da personagem, se inspirou em alguém?

Tivemos dois meses de preparação de elenco, conheci viciados em drogas que passaram por centro de reabilitação, além de criar a Mari estudando bem os personagens do pai e da mãe.

O que mais chama a atenção de você no gênero séries, tem assistido alguma em especial atualmente?

Sou bem viciada em séries, assisto todas, apesar de ser fã de carteirinha de Game of Thrones e Vikings, atualmente comecei a ver tudo o que vem sendo produzido na Espanha: Las Chicas del Cable, Gran Hotel, La Casa de Papel, Elite, entre outros, por ter interesse nesse mercado.

Foto: Divulgação

Acha que o aumento da produção de séries nas TVs fechadas tem aberto mais o mercado para atores e outros profissionais do audiovisual?

Com certeza, e a tendência virou mundial com os canais de streaming que estão tanto produzindo quanto comprando séries de outras produtoras. Abriu nosso mercado para todos que estão envolvidos no audiovisual.

Você é uma atriz jovem, mas como poucos atores vivenciou o sucesso no exterior, no seu caso em novelas do México. Quais as maiores lembranças daquela época?

Vivi outro universo, eu ganhei bolsa de estudos pela Televisa e além de estudar eu trabalhava ao mesmo tempo. Primeiro em peças de teatro produzidas pela casa, depois mesmo gravando novela, eu seguia estudando. Lá usamos ponto eletrônico, por gravarem muitas cenas no mesmo dia, então isso já muda 100% a forma de atuar

Até hoje ainda é procurada pelos fãs, tem contato com eles?

Na época em que morei no México o contato com fãs era por Twitter, não existia Instagram. Os bastidores ou fofocas era todo feito através dos programas de televisão e revistas ainda. Mas como eu namorava um ator muito famoso (o galã colombiano Daniel Arenas), fizemos nossa vida privada, bem longe de tudo isso. Nunca buscamos fama, sempre ser reconhecidos apenas pelo trabalho e não pela vida pessoal.

Foto: Divulgação

Aceitaria voltar a fazer novelas lá?

Sim, aceitaria. Mas meu direcionamento de carreira agora está mais voltado para séries no mercado espanhol.

Na época se falou muito de sua vida pessoal também por causa de relações que você teve com famosos (antes de Daniel, ela namorou o ex-rebelde Christopher Uckermann). Isso atrapalhou você ou mais ajudou na carreira?

Como respondi acima, meu namorado da época (Daniel Arenas) me ajudou muito a separar as coisas e a querer reconhecimento pelo trabalho. Quando voltei para o Brasil já tinha formado essa idéia, em querer atuar e trabalhar, e não ficar famosa por outros motivos.

Como avalia a sua carreira, tudo tem acontecido no momento certo, ou acha que faltam ainda mais oportunidades em novelas aqui no país, porque ser ator no Brasil não é fácil, né?

Eu tenho três séries no Brasil, fiz uma participação em uma novela, mas nunca fiz uma novela inteira. No momento que vivo acho que teria que ser bem estudado fazer uma novela. Teria que colocar na balança. Não sou atriz de topar qualquer trabalho, nem por fama e nem por dinheiro.

Você está cursando cinema. A sua ideia é também dirigir?

Eu produzi um curta que ainda vai para festivais e tenho um projeto todo em espanhol para produzir esse ano ainda. Não descarto começar a dirigir em paralelo a minha carreira de atriz.

Mika por Mika, como se definiria? 

Me estudando. 

 



Veja Também