Leandra Leal: “Difícil manter fé e esperança, mas tenho o privilégio de ter voz”

Atriz é mobilizadora do Criança Esperança, que terá esse ano o show na segunda, 19


  • 16 de agosto de 2019
Foto: Globo/Victor Pollak


Por Luciana Marques

*Veja a entrevista completa no vídeo abaixo.

Ativista social, Leandra Leal sempre soube da sua força como pessoa pública para falar de temas importantes para a nossa sociedade. Entre as causas defendidas pela atriz, a das minorias, como LGBT, meio ambiente, cultura... Assim, pelo quinto ano ela é uma das mobilizadoras do Criança Esperança, que a partir deste sábado terá foco em todos os programas da casa, culminando com um grande show, na segunda, 19 de agosto. “É muito difícil você manter fé e esperança. Mas eu tenho consciência do meu privilégio, e eu tenho que utilizar dele. Eu tenho voz!”, ressalta a atriz.

Em sua 34ª edição, Leandra se junta a outros 30 mobilizadores e ao elenco estelar da casa que atenderá às ligações ao vivo nos Mesões da Esperança. A apresentação do espetáculo, que terá shows de Sandy & Junior, Ivete Sangalo, Gilberto Gil, Anitta, Marília Mendonça entre outros, será apresentado de Leandra, Flávio Canto, Dira Paes, Fernanda Gentil e Jonathan Azevedo. Em bate-papo no intervalo dos ensaios nos Estúdios Globo, Leandra fala do prazer de mais uma vez estar à frente da atração e de sua visão sobre temas tão necessários atualmente no país.

Os mobilizadores Leandra Leal, Flávio Canto, Dira Paes, Fernanda Gentil e Jonathan Azevedo. Foto: Globo/Victor Pollak

ATIVISMO

“Nunca fui longe desse mundo. Sempre fui uma pessoa que tenho responsabilidade social, luto pelas causas que eu acredito. Acho impossível a gente ser feliz sozinho. Então é necessário que a gente lute por uma sociedade mais igual, mais justa. E o Criança Esperança é uma felicidade muito grande pra mim em estar na empresa que eu trabalho falando essas coisas”.

CRIANÇA ESPERANÇA

“É muito emocionante, é muito concreto! Eu sempre digo, as pessoas que têm dúvidas sobre o Criança Esperança, não tenha dúvida e fique só enjaulado na sua dúvida. Procure esclarecer, conhecer pessoas, projetos é a melhor forma de você esclarecer suas dúvidas. O site do Criança Esperança tem todos os projetos escolhidos esse ano pela Unesco,  num edital super sério, projetos dos outros anos, tem prestação de conta...”

MEIO AMBIENTE

“Aruanas foi um trabalho que uniu duas paixões da minha vida, a arte e o ativismo. É um assunto muito necessário. Acho que o meio ambiente é uma das pautas mais importantes que estamos vivendo. Realmente é um caminho sem volta. Se a o desmatamento na Amazônia passar de um ponto que não tem retorno, a floresta começa a se degradar. Isso impacta no nosso futuro. Toda geração tem uma da anterior, eu tenho muito medo da queixa da geração da minha filha vai ter da nossa, porque eu acho que a gente pode estar deixando um deserto”.

 

 

 

MOMENTO DO BRASIL, DO RIO DE JANEIRO

“Com certeza a gente está num momento muito difícil. Falando da cidade que eu moro, o Rio de Janeiro, foi desesperador o que aconteceu nessa semana (morte do jovem jogador de futebol). É desesperador ver a famílias perdendo seus filhos troco de nada, por uma política de segurança que é para exterminar. É endereçada, é uma política de extermínio do povo negro, periférico. É muito difícil você manter fé e esperança. Mas eu tenho consciência do meu privilégio, e eu tenho que utilizar dele. Eu tenho voz! Eu tenho como compartilhar, escutar, eu tenho como levar mensagens”.

DESMONTE DA CULTURA, TEATRO RIVAL

“A gente está num momento muito delicado, existe uma desumanização do artista, de quem investe em cultura. Acusam os artistas, criminalizam. E também a gente vive uma crise na cidade, no estado do Rio, que piora. As péssoas tem mais medo de sair de casa. Mas o Rival tem 85 anos, tudo o que é eterno é levado à semente da transformação. Ele vai se transformar e vai continuar”.



Veja Também