Jonathan Azevedo: “Sou exemplo de que as doações fazem a diferença”

Mobilizador do Criança Esperança, ator conta como sua vida foi transformada com a ajuda do programa


  • 17 de agosto de 2019
Foto: Globo/Victor Pollak


Por Luciana Marques

*Entrevista completa no vídeo, abaixo.

Pelo segundo ano consecutivo um dos mobilizadores do Criança Esperança, Jonathan Azevedo tem sua história de vida e profissional ligada ao programa. Quando então era um menino de 16, 17 anos, criado na Cruzada São Sebastião, no Leblon, ele buscava um norte. E encontrou na ONG Spectaculu – Escola de Arte e Tecnologia, beneficiada pelo Criança Esperança, que passou a frequentar. “Sou o exemplo e a confirmação de que essas doações fazem de fato a diferença”, ressalta o ator.

E aí ele seguiu seu caminho na arte, se formando depois no Grupo Nós do Morro, do Vidigal. Jonathan se une a Leandra Leal, Flávio Canto, Fernanda Gentil e Dira Paes na monilização e também apresentação do grande show do Criança Esperança, nesta segunda-feira, dia 19 de agosto. No palco dos Estúdios Globo se apresentarão nomes como Ivete Sangalo, Sandy & Junior, Marília Mendonça, Anitta e muito mais. Durante o sábado e o domingo, estrelas da emissora estarão nos Mesões da Esperança, atendendo ligações. E programas como o Altas Horas, neste sábado, será ao vivo do Mesão.

No papo exibido em nosso vídeo, Jonathan conta também que voltará em breve ao teatro com uma peça sobre a sua trajetória, como forma de inspirar outros jovens de comunidades.

Os mobilizadores Jonathan, Fernanda Gentil, Dira Paes, Flávio Canto e Leandra Leal. Foto: Globo/Victor Pollak

MOBILIZADOR DO CRIANÇA ESPERANÇA

Muito feliz, meu segundo ano n o Criança Esperança. Cada vez que eu chego nesse lugar eu vejo o quanto foi importante tudo o que aconteceu no passado e me fez chegar aqui. Como as primeiras doações há 34 anos, como o Renato Aragão. Essa poderia ter nascido na China, na Colômbia, mas graças a Deus esse cara nasceu no Brasil. E a gente vive um  momento em que a gente está meio perdido, sem ídolos, sem pessoas que nos tragam esperança. E eu acho que esse cara é uma grande referência de esperança. E é isso que eu tento buscar quando eu chego nesse lugar, não ser um megaator, uma estrela, eu quero ser aquela luz que te transmite esperança, amor, e que tudo passa e que só depende da gente. E essa é a mensagem que o Criança Esperança está passando esse ano, de renovar a energia dentro do seu coração, o seu modo de olhar para esse mundo e para essa vida que você leva, e assim nós vamos transcendendo o que é o amor.

 

 

CHANCE NA ONG SPECTACULU

As pessoas podem pergunta, ih, o dinheiro que eu doei, pé verdade mesmo que, pôxa, ... Eu digo, talvez eu não fosse essa referência que você tem hoje de mim, talvez eu não estaria na TV. Porque se não fosse as doações, eu não teria uma escola como a ONG Spectaculu (Escola de Arte e Tecnologia, criada por Gringo Cardia), que foi a primeira escola, quando eu tinha 16 anos, 17. Que eu me inscrevi. Como muitos adolescentes agora  nesse momento devem estar procurando um afazer dentro do seu bairro, da sua comunidade, não tem um curso profissionalizante. E eu, ali, vi a porta que me fez estar aqui hoje falando com vocês.

Leandra Leal: “Difícil manter fé e esperança, mas tenho o privilégio de ter voz”



Veja Também