Haja Coração: Rebeca revê Aparício após 30 anos e pensa que ele faxineiro do Grand Bazzar

Ela mantém grande mágoa do ricaço por ter sido abandonado dias antes do casamento


  • 17 de outubro de 2020
Foto: Reprodução Globo/Montagem


Na antessala da presidência do Grand Bazzar, durante conversa com Agilson (Marcelo Médice), Aparício (Alexandre Borges) acaba batendo numa bandeja com café e virando tudo sobre o seu terno. Ele segue até o banheiro e pede para a secretária alguma roupa que possa usar, enquanto lavam a sua. Instantes depois, ele sai do banheiro com uniforme de faxineiro. Depois de olhar o seu modelito no espelho, ele se vira e vê a chegada de nada mais nada menos do que o seu grande amor, Rebeca (Malu Mader). Há quase 30 anos sem se verem, os dois ficam surpresos e emocionados. A arquiteta parece boquiaberta. “Não dá pra acreditar... Meu Deus... Tantos anos...”, diz. “Mais de trinta...”, fala Aparício, sem segurar a emoção.

Ao perceber o uniforme dele, Rebeca o questiona se ele trabalha na empresa. Aparício confirma. “Claro que trabalha. Tá de uniforme, com a logo do Grand Bazzar”, fala ela. O ricaço tenta corrigir. “Ah, isso? Não, essa não é a minha função... Estou vestido assim porque a minha roupa sujou de café e...”, fala. Mas Rebeca o corta, penalizada. “Cicinho... Não precisa inventar nenhuma história. Qual é o problema de ser faxineiro? É um trabalho honesto”, afirma ela. “Claro, mas não é isso.. Cê entendeu errado, eu...”, tenta explicar ele. Mas Rebeca o corta, com ironia. “Há trinta anos você me largou quase no altar pra se casar com outra... Uma herdeira rica. Lembra disso, Cicinho?”, fala.

Ele ainda tenta se explicar, em vão, porque a arquiteta relembra tudo o que passou. “Sofri tanto, tanto! Cê não imagina a dor que ficou queimando aqui dentro. Dias, meses... Acreditava em você, confiava. A gente tava junto, feliz... De repente você... Fiquei sem chão. Mas graças a Deus conheci um homem maravilhoso que me fez muito feliz”, conta. Aparício quer saber se ela se casou. Rebeca conta que o marido era espanhol e que morou muito tempo fora. "Agora fiquei viúva. Não tive filhos, mas tivemos uma vida bonita”, diz. Emocionada, ela diz que nem sabe porque está lhe contando essas coisas. “Quem sabe ainda não te perdoei pelo que cê me fez passar”, diz. Aparício garante que se arrependeu. “Foi o maior erro da minha vida”, afirma.

A arquiteta mais uma vez é irônica, mas sem ofender. “Deve ter sido mesmo... Por que... Pra quem disse que ia se casar com uma das mulheres mais ricas de São Paulo, cê não foi muito longe, né? O que deu errado? A milionária te chutou? Enfim, dane-se, não é da minha conta...”, fala ela, que vai saindo. Mas o ricaço ainda lhe faz uma pergunta. “Você tem ódio de mim até hoje, Bebé?”, quer saber ele. Rebeca se desculpa, fala que não queria ofender, mas que aquele não é o momento para conversarem sobre o assunto. “Tenho um encontro com a Teodora Abdala. Se der tudo certo, vou trabalhar aqui”, conta. Aparício se ilumina, surpreso. Ela explica que irá apresentar um projeto para a reforma do Grand Bazzar. “A sala da presidência é essa?”, quer saber ela.

Aparício confirma. “Mas a Teodora... Ela ainda não chegou”, fala ele. Rebeca o corrige. “Dona... Você devia chamar a presidente da empresa de Dona Teodora.. Cuidado com essas intimidades, Cicinho...”, diz ela, que pergunta onde pode esperar Teodora. Ele indica onde fica a sala da presidência.  Muito balançada, ela abre a porta e desaba a chorar. Nisso se lembra do dia, uma semana antes de eles se casarem, que Aparício rompeu com ela, dizendo que sempre foi pobre e queria mudar de vida. E foi o que aconteceu, casou com a milionária Teodora (Grace Gianoukas).

Haja Coração: Aparício mente para Camila sobre sua personalidade antes do coma

Haja Coração: Giovanni fica mexido com a “nova” Camila

 



Veja Também