Guilherme Seta, o Fernando: “Coloquei lado rebelde pra fora”

Do sucesso como o Davi, de Carrossel, ao desafio de viver jovem revoltado em Topíssima


  • 02 de julho de 2019
Foto: Luiz Brown


Por Luciana Marques

Toda uma geração que curtiu o “boom” da versão brasileira de Carrossel, no SBT, entre 2012 e 2013, lembra muito bem do menino doce Davi, que era apaixonado pela colega de escola Valéria (Maísa). Mas seu intérprete cresceu, e como. Guilherme Seta, de 16 anos, diferentemente de atores mirins que não conseguem mais espaço, trilha um caminho bacana na carreira.

Atualmente, o ator dá vida ao jovem revoltado Fernando, de Topíssima, filho de Madalena (Denise Del Vecchio) e Zeca (Paulo Cesar Grande), e irmão da ambiciosa Jandira (Brenda Sabryna), que terá um final trágico na trama. “Tive que colocar o meu lado rebelde pra fora, ele é mais agressivo e bem diferente de todos os personagens que já fiz”, conta o ator, que também está no elenco da série Juacas, que tem como foco o surf, do Disney Channel, como o Toco.

O que tem sido mais instigante ao viver o Fernando, em Topíssima? O meu desafio de viver o Fernando, apesar de ser um adolescente como eu, é que ele tem uma personalidade bem diferente da minha. Estou curtindo muito porque saí da minha zona de conforto e vou buscar características que caibam no personagem. Espero que o meu público curta. Fernando tem uma mensagem bem legal pra passar aos adolescentes ao longo da trama em relação a questões da convivência familiar, conflitos da idade, que muitos de nós vivemos nos dias de hoje.

Fernando (Guilherme Seta). Foto: Blad Meneghel/Record TV

A família dele passará por momento de grande dor com a perda da irmã dele. Como foi para você gravar essas cenas, o que foi mais difícil? Essas cenas foram uma nova experiência e um desafio pra mim. Estou ansioso pra ver o resultado. O mais difícil em gravar foi a necessidade de puxar uma emoção muito real, o que faz com que o ator pense em momentos tristes de sua vida, exige muita concentração. São cenas fortes com minha família e tem um desgaste emocional intenso, e quando a gente sai de cena precisa de um tempo pra se recompor.

Há algo em que você se identifica com o Fernando? Me identifico com o Fernando em relação a ligação dele com a irmã, brincalhão, ligado à irmã e um pouco pentelho (risos). Em casa sou assim com minha irmã Ana Luísa e meu irmão Mateus. Fernando na trama tem a mesma idade que eu, mas é bem diferente do Guilherme. Sou um adolescente muito tranquilo, não minto pros meus pais e tenho uma relação com minha família bem aberta.

Como tem sido o retorno do público, o que você mais ouve nas redes sociais, na rua? Fernando é um personagem bem diferente do que o meu público está acostumando a me ver nas telinhas. Estou tendo um retorno legal. Quem convive no dia a dia comigo diz que o Fernando está muito mentiroso, fofoqueiro e chantagista com a Jandira (risos).

Acha que o Fernando vai ganhar um amor na trama, torce por isso? Fernando é um adolescente em fase de mudanças e descobertas, fica totalmente desorientado, e a sede de vingança o deixa cego depois da morte da sua irmã. Ele conhece Andréa, uma garota da sua idade que vai mudar um pouco suas ideias. Mas não sei como acaba essa história... Amizade ou namoro (risos).

Foto: Luiz Brown

Você começou ainda bebê fazendo publicidade. E continuou fazendo trabalhos bacanas, estando até hoje no ar. Teve alguma fase mais complicada, porque não são todos os atores mirins que conseguem continuar na profissão, né? Meu primeiro trabalho na TV foi com 7 anos no Discovery Kids um programa chamado O Esconderijo Secreto, e desde então foram surgindo as oportunidades bem bacanas. Me sinto privilegiado pelas oportunidades que surgem. Sei que é uma área bem complicada e concorrida. Me dedico bastante e me preparo para altos e baixos como em toda profissão. Quando não estou gravando faço cursos voltados à minha área.

Você viveu o "boom" de Carrossel. O Davi era muito querido pelo público. Quais as maiores lembranças daquela época? Foi uma época muito boa, pois eu tinha apenas 9 anos , foi muito bacana o retorno do público. Ser reconhecido pelo seu trabalho e elogiado pelas pessoas é uma sensação incrível. Ainda mais você saber que faz parte do dia a dia de milhares de pessoas quue se identificam com o seu personagem. Carrossel foi um projeto que me trouxe muito aprendizado e novas oportunidades . Ser ator é muito louco.

Você continua tendo contato com a turma da novela, principalmente com quem continua também no ar, como a Larissa Manoela, a Maisa? Com quem você mantém amizade até hoje? Agora que mudei pro Rio está um pouco difícil esse contato, mas de vez quando converso com a galera. A gente tem um grupo pra manter contato pois foi uma época marcante para todos nós, e quando nos encontramos em festas é uma zona e tanto (risos). Converso sempre com o Nicholas Torres, Jean Campos, Thomaz Costa e Matheus Ueta.

Guillherme como o Davi, de Carrossel, entre 2012 e 2013. Foto: Divulgação/SBT

Você cresceu junto com o público de o Carrossel. Como é a relação com os fãs? Tenho uma relação muito boa e gosto muito de estar em contato com os fãs porque são eles que nos impulsionam na carreira, torcem muito pelo ator, dedicam parte de seu tempo pra nós. É uma troca muito bacana. Nunca tive problema em minhas redes sociais, não sou um cara polêmico, então meus fãs retribuem com muito carinho. A galerinha cresceu comigo acompanhando meu trabalho e até hoje recebo muitos posts de Carrossel. A cada trabalho aumenta os fãs clubes. Sempre que consigo respondo a galera nas redes sociais

E como tem sido participar da série Juacas? O universo do surfe também faz parte da sua vida? Faz sim! Sempre fui muito à praia com minha família, acompanho tudo de surf pelo Canal Off. Ganhei minha primeira prancha de um amigo que tava trocando a dele, já comecei a apreender a surfar com 8 anos . Quando fui selecionado pra série fiquei maluco porque tinha tudo a ver comigo. Foi muito irado fazer parte desse projeto. Tive a oportunidade de conhecer grandes surfistas brasileiros como Teco Padaratz, que é meu pai na série, Filipe Toledo e Ítalo Ferreira são super gente boa. Sou muito fã deles.

Qual o teu sonho na profissão? Ser um grande ator e fazer muitos filmes e novelas, me dedicar muito e ter a oportunidade de fazer um protagonista. É um grande desafio na carreira de um ator.

Camila Rodrigues: “Há personagens que te tocam diferente, a Sophia é isso”

Rayanne Morais, a Graça: “Há o momento de plantar e o de colher”



Veja Também