Especial mostra como amor e diálogo podem reunir laços perdidos de uma família no Natal

Atração da Globo Juntos a Magia Acontece inova ao ser estrelada por uma família negra


  • 20 de novembro de 2019
Vera (Camila Pitanga), Jorge (Luciano Quirino), André (Fabrício Boliveira), Orlando (Milton Gonçalves) e Letícia (Gabriely Mota). Foto: Globo/Estevam Avellar


*Veja a matéria completa no vídeo, abaixo.

O Natal traz um turbilhão de sentimentos. É tempo de restabelecer afetos, conexões perdidas... Assim, unindo a magia da data com a pureza das crianças e a sabedoria dos mais velhos, o especial da Globo Juntos a Magia Acontece promete tocar o coração do telespectador no dia 25 de dezembro. Escrito por Cleissa Regina Martins, autora revelada pelo Laboratório de Narrativas Negras para Audiovisual, parceria entre a TV Globo e Flup, a atração tem direção artística de Maria de Médicis.

“A mensagem é sobre a união de uma família que, apesar dos conflitos, consegue se unir para fazer acontecer a  vontade do avô e da neta. Esses dois pontos acabam por conectar a família inteira”, explica Cleissa.

O avô é Orlando, vivido por Milton Gonçalves, e a neta é Letícia, interpretada por Gabriely Mota.

“Eu quero que o nosso povo brasileiro, de índios, orientais, que estejamos todos juntos. Que não tenhamos essas coisas de vez em quando, ah, esse crioulo, não, crioulo é cavalo nacional. Eu sou negro! Estou falando demais sobre isso, mas é o meu coração que está falando. Estar aqui hoje fazendo esse personagem maravilhoso, eu vou chorar... Porque isso é uma batalha de séculos, em que a gente tem que eliminar o medo, nós somos cidadãos...”, ressalta Milton.

Orlando (Milton Gonçalves). Foto: Globo/Estevam Avellar

A HISTÓRIA DE JUNTOS A MAGIA ACONTECE

A família Santos perde a sua matriarca às vésperas do Natal. A ausência repentina de Neuza (Zezé Motta) desalinha a rotina da casa, desperta a depressão do viúvo Orlando (Milton Gonçalves) e evidencia o afastamento de seu filho André (Fabrício Oliveira). E isso também respinga em sua irmã Vera (Camila Pitanga), sobrecarregada com o trabalho, afazeres domésticos e o desemprego do marido, Jorge (Luciano Quirino).

Com todos esses acontecimentos, praticamente não há clima para a ceia de Natal, nem dinheiro para a troca de presentes. Mas quem aponta o caminho para reconectar a família nessa noite mágica é Letícia (Gabriely Mota). A menina de 9 anos é filha de Vera e de Jorge. E no auge dos questionamentos típicos sobre a existência de Papai Noel, consulta o avô, que, apesar da tristeza, não tira a fé da neta no bom velhinho: “Quando você acredita, existe”, diz ele.

“Acho que a gente poder contar com a nossa voz, uma história que é de família, mas é de uma família preta, na noite de Natal é muito especial. Esse projeto tem vários sabores para mim. Acredito que com esse especial, a gente está acordando uma outra possibilidade de leitura, que não descarta nada, que amplia, que abre para outras oportunidades de manifestação dessa figura simbólica e querida por todos. Acho que vai abraçar mais pessoas”, avalia Camila Pitanga.

“A gente tem que falar sobre representatividade, é fundamental. Além de tudo, o que esse especial tem de bacana é falar da família. Eu acho que falar de afetos, a Cleissa fala muito bem dessa família que se reúne no sentido de se religar. Estamos em tempos em que as pessoas estão esquecendo de ouvir, é imuito importante o trabalho da escuta”, comenta a diretora Maria de Médicis.  



Veja Também