Day Mesquita, a Poderosa de Amor Sem Igual: “A resposta para tudo é o amor”

Protagonista da trama exalta tema tolerância e diz que papel lhe trouxe mais confiança


  • 23 de dezembro de 2019
Foto: Adri Lima


Por Luciana Marques

*Entrevista completa no vídeo, abaixo.

Após se destacar em papéis importantes, como a Maria Madalena, em Jesus, e a dona Ester Bezerra, no filme Nada a Perder, Day Mesquita tem nas mãos uma personagem que, com certeza, pode fazê-la subir ainda mais patamares na carreira. E pelo o que se tem visto nos capítulos iniciais de Amor Sem Igual, a atriz já conquistou de cara o público com a sua prostituta Poderosa. “Assim como ela, sempre fui uma pessoa que corri atrás dos sonhos, comecei a dar aula de balé aos 13 anos”, conta.

Para Day, a sua nova personagem na Record TV, que vai rápido do drama, à ironia e à leveza, é realmente um grande desafio. “Poderosa é única, cheia de nuances. Acho que eu fui encontrando ela, essa malandragem que tem por conta da vida, conforme eu fui gravando”, diz. E para atriz, uma das grandes mensagens da trama de Cristianne Fridman é a questão da tolerância, do não julgamento. E que a resposta para tudo é o amor.

O que mais encanta você na Poderosa? Ela não se vitimiza em nenhum momento, acho que daí que vem a leveza e a alegria dessa personagem que é o contraponto com todas as esses traumas que ela viveu. E foi um ponto que no início eu pensava, como eu vou fazer essa mulher, como eu trago essa leveza com tudo isso que ela está vivendo. Um dia uma chavinha virou, e é rir de si mesma, debochar, passou isso, vamos para a próxima.  E eu acho que isso é o legal dela.

Poderosa (Day Mesquita). Foto: Blad Meneghel/Record TV

Você algum laboratório para esse trabalho? A gente tem alguns filmes de referência, uma linda mulher é um deles. Mas eu acho que a poderosa é diferente da personagem da Julia Roberts e de outras também. Acho que ela é única, porque ela em muitas nuances que eu mesma estou descobrindo com o decorrer dos capítulo que eu vou lendo. Eu acho que eu fui encontrando ela, essa malandragem que ela tem por conta da vida, conforme eu fui gravando, fazendo os laboratórios, batendo texto com a direção, com o Rafa e, aos poucos, eu fui encontrando o caminho que ela tinha que seguir.

O que você pode falar do casal Miguel e Poderosa, que já caiu no gosto do público? Esse romance, vamos ver como vai ser. No começo, ela não acredita, ela desconfia do Miguel o tempo inteiro, porque ela não está acostumada com o carinho, com o respeito. E de repente chega o Miguel e começa a tratar ela diferente o tempo todo. Mas aos poucos ela vai entendendo que ele é assim, que ele é um homem diferente. Mas ainda assim, ela vai demorar para abrir, porque ela sofreu muito na vida. E ela tem muito medo de abrir a guarda um pouquinho e de repente o sofrimento pegá-la de novo. Vai ser um amor sem igual, sofrido. O Miguel vai ter que suar para conquistar essa mulher. 

Você já viveu um amor assim, sem igual? Todo o mundo já viveu um amor sem igual, acho que paixões sem igual, nesse caso é um amor. Eu já vivi algumas histórias. Acho que tudo com um friozinho na barriga é bom, mas com uma tranquilidade. A gente merece ter paz.

Como está sendo a parceria com o Rafael Sardão? O Rafa, a gente se conhecia d A Terra Prometida e de Jesus, mas a gente não contracenou. É a primeira vez que a gente está contracenando de fato. Ele é um grande ator, eu já o admirava antes, até por assistir algumas cenas que a gente fazia, mesmo distante. E a troca com ele está sendo incrível, porque a gente tem uma parceria boa mesmo, a gente conversa e discute o que pode ser melhor para a cena e se ajuda.

Foto: Blad Meneghel/Record TV

Há alguma semelhança entre você e a Poderosa? Eu acho que sempre, com todas as personagens existe uma troca, eu empresto muito do que eu sou, às vezes que coisas adormecidas, e também trago um pouco das coisas positivas que as personagens me trazem.  Eu comecei a trabalhar com 13 anos, dando aulas de balé. Então eu sempre fui uma pessoa que corri atrás dos meus sonhos, de ter o meu dinheiro. Não vivi o sofrimento que ela viveu, mas acho que a Poderosa tem muito disso e eu acho que posso emprestar um pouco disso pra ela.

Como é viver uma mulher chamada de Poderosa, que todos olham, linda... Mudou algo em você? Isso é maravilhoso, porque o tempo inteiro traz mais confiança para mim no dia a dia também. É uma questão de aceitação mesmo. E com o passar dos anos, a gente vai tendo mais segurança, não que eu seja uma pessoa 100% segura, mas é mais sobre aceitação mesmo. Eu me aceito muito mais, eu não vou agradar todo o mundo, quem sou eu para me julgar. Então se os outros me julgarem por algum motivo, eu não tenho que estar preocupada com isso, eu tenho que estar feliz porque eu sou desse jeito.

Qual é, na sua opinião, a grande mensagem da novela? A questão da tolerância, do não preconceito, da aceitação, da compaixão, de olhar para o outro mesmo com carinho e amor, independente da escolha, da profissão do outro. E a gente pode fazer isso no dia a dia, talvez uma grande obras podem trazer observações. Acho que a resposta pra tudo é o amor.

 

 

Rafael Sardão, o Miguel: “Importante falar de um amor que cura o preconceito”

Day Mesquita e Rafael Sardão vivem um Amor Sem Igual em nova trama da Record



Veja Também