Dandara Mariana: “Dançar pra mim é sinônimo de felicidade”

Atriz lembra que quando nova imitava de Daniela Mercury a Mel B, aplaudida pela avó


  • 24 de novembro de 2019
Foto: Nana Moraes


A cada nova aparição de Dandara Mariana na TV, ela conquista um pouco mais o público. Seja pelo talento, carisma, beleza, atitude... No momento, a atriz tem deixado o telespectador ligadíssimo na sua alegria e ginga no quadro Dança dos Famosos, do Domingão do Faustão, em que é tida como uma das favoritas. “Dançar pra mim é sinônimo de felicidade”, conta.

E essa paixão pela dança vem desde nova quando pegava os lenços da avó Adelaide e virava vários personagens. Mas quando dizem que ela já tinha experiência com a dança e poderia ter essa vantagem na disputa, Dandara garante que sempre foi só um hobby. Tanto que tem “sofrido” nas mãos do parceiro Daniel Norton para pegar as coreografias. “Com ele não tem moleza”, diz a atriz, que recentemente deu vida à dançarina Dandara Brasil, em Verão 90.  

Como está sendo a experiência de competir no Dança dos Famosos? Maravilhosa! Estou adorando o desafio de aprender um ritmo por semana e ter que memorizar e me familiarizar com uma coreografia elaborada em apenas nove horas de ensaio. Está sendo intenso e muito divertido.

Dandara e o parceiro de dança Daniel Norton. Foto: Globo/Fabio Rocha

Algumas pessoas comentam que você já teria uma experiência com dança. É verdade? Sempre gostei de dançar, desde criança. É um hobby. Fazia aulas de dança na infância como atividade extra depois da escola. Ia pra casa da minha avó materna, Adelaide, e passava o dia me apresentando pra ela, catava os seus lenços e virava a própria odalisca (risos). Na adolescência, me lembro quando arrastava os móveis da sala e me transformava ora na Daniela Mercury, evocando O canto da cidade, ora na descolada e poderosa Mel B das Spice Girls. Mais velha, calçava minha super bota, que tinha uma ultra master plataforma, e atacava de rainha de bateria (risos). Dançava na sala, em frente a um vidro, os vizinhos assistiam a horas de desenvoltura!

Qual foi o ritmo mais puxado para dançar até o momento e qual foi o mais fácil? Todos tiveram grau de dificuldade. Com o Daniel Norton não tem moleza! Dentro do desafio que existe em cada coreografia, o forró, até agora, foi o mais tranquilo. Por ser um ritmo bem brasileiro. Assim como o funk também é um ritmo que a gente tem mais intimidade, só que no funk existe uma pressão e uma expectativa maior.

Por ter sido um ritmo que marcou sua personagem na novela Verão 90, você queria ter dançado lambada no quadro? Eu estava louca para dançar lambada! Ia reviver Dandara Brasil. Mas eles acabaram elegendo como o ritmo da repescagem. Ainda bem que eu não “lambadiei” (risos)!

Como é a relação com o seu coreógrafo? Você opina ou deixa ele criar sozinho as coreografias? Eu adoro o Dan! Ele é demais, dança muito! Eu deixo ele criar, não me nego a nada, quero aprender, fazer meu corpo conseguir executar. As propostas normalmente são em relação a algum movimento de braço, de cabeça, algum detalhe, fora esses acabamentos, estou ali disponível para fazer o que ele pensou coreograficamente.

Foto: Nana Moraes

Por ser muito bem avaliada pelo público, está confiante para ganhar o título? Estou muito feliz com o retorno do público. Estão sendo afetuosos e me passam sempre confiança em relação a vitória. Só que eu sou pé no chão. Todos os amigos são talentosos, prefiro viver domingo à domingo, me dedicar, estudar e viver cada etapa.

Durante a competição você tem algum preparo físico diferenciado? Continuo praticando exercícios como antes. Faço ashtanga yoga, crossfit, musculação, gosto de correr na praia... Sou ativa, adoro me exercitar! Com o ‘Dança’ comecei a fazer quiropraxia e acupuntura para fortalecer e cuidar do corpo de maneira geral, os ensaios são bem intensos.

Agradecimentos: Make: Gabriel Ramos; Stylist: Cris França

 



Veja Também