Bom Sucesso: Gabriela sofre e quer saber quanto tempo de vida ainda tem

Vicente e Patrick deixam rusgas de lado e emocionam com gesto de carinho no hospital


  • 02 de dezembro de 2019
Foto: Reprodução Globo


O sofrimento de Gabriela (Giovanna Coimbra) após o acidente vai comover o público. Serão cenas tocantes com a família, os amigos e amores... E a gente vai tentar contar aos poucos tudo aqui.

Ao acordar no hospital, a esperta garota sente a gravidade de seu estado. E logo pergunta à mãe, Paloma (Grazii Massafera), quanto tempo de vida ainda lhe resta.

Essa sequência deve ser exibida no dia 11 de dezembro.

PATRICK CHORA COM ESTADO DA NAMORADA E, SURPREENDENTEMENTE, PATRICK O ABRAÇA, LHE CONFORTANDO

Vicente (Gabriel Contente) está com Ramon (Davi Junior) no hospital, ambos mostram-se nervosos e preocupados. O treinador fala sobre a raridade do sangue da jovem. “Sangue raro? Então eu não posso doar pra ela?”, pergunta Vicente. “Nem você nem eu, jogador. Infelizmente”, fala Ramon. “Mas faz o que agora? Tem que ter um jeito de conseguir esse sangue!”, diz o jovem. “Já tão tentando de tudo”, conta o técnico.

Nisso chegam Alice (Bruna Inocencio), Tonho (Anderson Müller) e Patrick (Caio Cabral). Todos se cumprimentam. “Como a Gabi tá, Ramon? Posso ver?”, pergunta Patrick. “Alguma notícia da minha irmã?”, emenda Alice. “Ela ainda tá no CTI. A Paloma tá lá com ela, mas ainda é a única que pode entrar”, explica Ramon.

O treinador então pede para falar a sós com Tonho. E eles se afastam. “Se ela não receber esse sangue, ela vai morrer?”, indaga Patrick. “Nem pensa nisso”, fala Alice. “Não dá. É só o que eu consigo pensar. Isso e que eu devia tá lá com ela quando a Gabi se machucou”, diz o jovem. “Eu tava no desfile e não deu tempo de fazer nada. Fico lembrando da cena, tentando entender. Ela veio andando, olhando pra mim e de repente...”, conta Vicente.

Patrick fica sem entender. “Ela tava olhando pra você pra quê?”, pergunta. “Sei lá, ela tava na passarela, desfilando, feliz. E aí de repente ela voou pra cima do Alberto”, conta o rapa. “Salvou a vida dele”, lembra Alice. “Foi. Ela é demais”, emenda Vicente. “Mas terminou aqui. Não é justo”, lamenta Patrick. Nesse momento, Patrick se emociona. E Vicente, surpreendentemente, o abraça e ambos se consolam. Alice fica comovida com a cena e abraça os dois.

GABRIELA CHORA COM PALOMA: “TEM TANTA COISA QUE EU AINDA NÃO FIZ, SABE? EU QUERO TERMINAR A ESCOLA, VIAJAR, JOGAR BASQUETE... EU NÃO QUERO MORRER, NÃO”

Na CTI, Gabriela dorme. Paloma segura a mão da filha e reza. Aos poucos, meio desorientada, a jovem vai acordando. "O que aconteceu? Onde eu tô?”, quer saber. “No hospital, filha. Você salvou a vida do Seu Alberto, sabia?”, conta a costureira. “Eu lembro do refletor caindo e eu tentando tirar ele debaixo”, diz a jovem. “Você conseguiu. Mas se machucou e teve que fazer uma cirurgia. Mas vai ficar tudo bem, a mãe tá aqui. Como você tá se sentindo?”, quer saber Paloma. Gabriela diz que está com sede.

Paloma pega um copo e dá água na boca da filha. “Melhor não fazer esforço. Você ainda tá fraquinha. Você perdeu muito sangue, meu amor. Precisa fazer uma transfusão”, conta Paloma. Gabi quer saber quando será. “Eu sempre disse que você era especial, não disse? Minha filha, tão corajosa, determinada. Tenho tanto orgulho de você, meu amor. Você é tão especial que até o seu sangue é especial. É um sangue raro, um tal de falso O. E ninguém da nossa família é compatível pra doar. Se o seu pai tivesse vivo...”, fala.

Gabi se surpreende. “Meu pai? Ele tem esse sangue?... Ele era todo errado. E agora até isso é culpa dele”, constata Gabi. Paloma pede para Gabi ficar tranquila. “Eu tenho fé em Nossa Senhora....”, diz. “Logo eu, né?”, brinca Gabi. “Logo você, minha espoleta. Que não para quieta”, fala Paloma. A costureira conta que todos os amigos dela estavam no hospital, mas só poderão vê-la quando for para o quarto. Nisso entra o doutor Mauri (Jorge Lucas). Logo a jovem começa a questioná-lo. “E se não acharem esse sangue? Eu vou morrer?”, pergunta. “Vira essa boca pra lá, Gabriela! Que isso?”, diz Paloma.

Mauri explica que estão buscando em todos os bancos de sangue do país. “Tá... E se não tiver o que eu preciso em nenhum banco de sangue em lugar nenhum? Eu vou morrer?”, insiste. “Claro que não, meu amor. Não é, doutor?”, fala a costureira. Depois a sós com a mãe, Gabi chora. “Eu não sou criança. Quero saber quanto tempo eu tenho. Tem tanta coisa que eu ainda não fiz, sabe? Eu quero terminar a escola, quero viajar, jogar basquete, eu não quero morrer, mãe. Não quero”, fala. Paloma, emocionada, abraça a filha e chora também.

Bom Sucesso: Nana chama Gisele de canalha após confissão de que ela é amante de Diogo

Bom Sucesso: Marcos procura Paloma e eles fazem as pazes



Veja Também