Alex Morenno interpretará Van Gogh no teatro

Ele atuou em Novo Mundo e tem várias peças e musicais no currículo


  • 20 de fevereiro de 2018
Foto: Anderson Marques


O ator, diretor, mestre de cerimônias e preparador corporal Alex Morenno, que viveu Francisco de Castro, o irmão de Domitila (Agatha Moreira), em Novo Mundo, em 2017, dedica-se a preparação de seu novo personagem para os palcos. Ele dará vida ao pintor holandês Van Gogh, no espetáculo Van Gogh por Gauguin.

A montagem, com previsão de estreia no segundo semestre deste ano, tem autoria de Thelma Guedes, que escreveu tramas como Joia Rara e Cordel Encantado, e direção de Roberto Lage. “A ideia surgiu nos ensaios de Cartola - O Mundo É Um Moinho. A Adriana Lessa, uma das protagonistas, minha amiga, um dia chegou e disse: 'Alex, você deveria fazer Van Gogh'. E isso me inspirou a correr atrás”, lembra o ator.

Em cena de Novo Mundo. Foto: Globo/Rafael Campos

Dar vida a um dos maiores nomes da arte mundial, será mais uma realização para Morenno nos palcos. “Van Gogh foi um artista incompreendido e vendeu apenas um quadro enquanto esteve vivo, era um homem genial, mas que tinha sérios problemas psicológicos. Ele sofria de episódios psicóticos e alucinações, mas, de alguma forma despejava isso na sua pintura, na forma de ver o mundo através das cores. Minha relação com ele ainda é muito sutil, mas essa busca por um lugar ao sol, esse amor pela arte, nos aproxima”, avalia o ator.

A partir de agora, ele corre atrás de patrocínio para viabilizar a peça. A ideia é iniciar por São Paulo, onde já há negociação com dois teatros na região da Av. Paulista, depois Rio de Janeiro e outras capitais, como Belo Horizonte. “Estamos com toda equipe montada, já aprovados na Lei Rouanet e com número divulgado no Diário oficial, mas ainda estamos sem patrocínio, por isso nesse primeiro semestre estamos procurando patrocinadores e apoios para estrearmos no começo do segundo semestre”, diz ele.

Trabalhos no teatro e na TV

Antes de atuar, em 2017, em Novo Mundo, Alex Morenno já havia feito o Luck, de Cama de Gato. Sua trajetória na arte é longa e inclui também a a dança.

Nos palcos, ele participou de Mambo Italiano, com direção de Marcos Caruso; Advocacia Segundo os Irmãos Marx, ao lado de Heloísa Périssé, e direção de João Fonseca; Menino Maluquinho – O Musical; e B – Encontros com Caio Fernando Abreu, com direção de Francisco Medeiros.

E não para por aí. Ele coreografou o musical Carlola – O Mundo é Um Moinho, e, por seis anos, foi responsável pela coreografia da comissão de frente da escola de sampa Tom Maior, no Grupo Especial de São Paulo. Além disso, já esteve também em várias campanhas publicitárias.



Veja Também