O Tempo Não Para: Samuca pede outra chance à Marocas

Empresário visita a amada em sua nova casa no cortiço


  • 10 de setembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


Samuca (Nicolas Prattes) vai “cortar um dobrado” para reconquistar Marocas (Juliana Paiva). Depois de viverem dias de romance e terem a primeira noite de amor, a jovem romperá o noivado por causa de uma mentira do empresário. É que Samuca escondeu dela que a Samvita foi construída nas terras da fazenda de Dom Sabino (Edson Celulari).

E em capítulo a ser exibido no fim deste mês, com a ajuda de Paulina (Carol Macedo), Marocas consegue um quarto no cortiço administrado por Marciana (Cyria Coentro). E logo convida Miss Celine (Maria Eduarda Carvalho) para morar com ela. Nesse momento, ela estará procurando um novo emprego, e Samuca terá sido destituído da presidência da Samvita, após armação de Emílio (João Baldasserini).

Em sua nova e modesta casa, Marocas faz uma faxina geral, tipo Gata Borralheira. Quando Miss Celine chega, ela mostra empolgada a nova moradia. “É um aposento simples... Mas foi tão bem arrumado... Parece até que passou uma fada com varinha de condão por aqui”, brinca a professora.

Marocas conta que ela própria arrumou tudo. “Você está me saindo melhor que a encomenda! Quantos talentos!”, elogia Celine. “Espero que algum deles me ajude a arrumar um novo emprego sem demora”, torce a mocinha. Já no jantar, elas comem sardinha em lata com pão. “Se meu pai me visse comendo sardinha em lata com pão na ceia, cairia em profundo desgosto”, lembra Marocas.

O Tempo não Para: A primeira vez de Samuca e Marocas

O Tempo Não Para: Marocas rompe noivado com Samuca

MAROCAS FICA BALANÇADA AO OUVIR DE SAMUCA QUE É “A MULHER DA VIDA DELE”

Miss Celine fala que Dom Sabino ficaria orgulhoso dela, que não se abate diante de dificuldades. Nisso, a porta se abre, e aparece Samuca. Ele ficou sabendo através de Marciana, que é diarista em sua casa, que Marocas está morando no cortiço. E ela reage surpresa com a presença do ex: “Samuel?”.

Meio sem jeito, Miss Celine diz que deixará os dois a sós. “Não, Miss Celine! Uma dama não deve ficar só com um cavalheiro”, diz Marocas. “Mesmo se o cavalheiro tiver sido seu noivo e que ainda ame essa dama com todas as suas forças?”, pondera ele. “Especialmente nesse caso”, fala Marocas. Discreta, Celine avisa que precisa “tomar uma fresca”, e deixa os dois sozinhos.

Marocas desvia o olhar de Samuca, e pergunta a ele se está servido. “Para um homem como o senhor, sardinhas em conserva estão longe de ser uma refeição adequada”, fala. “Senhor? Marocas, depois de tudo o que vivemos juntos... o que... fizemos...”, diz ele, tentando se aproximar da amada, mas ela recua. “Não é de bom tom recordar a uma...”, fala ela, envergonhada.

E Samuca continua... “Mulher... a mulher da minha vida”, diz ele, recordando a noite de amor deles. “Senhorita... lembrar uma senhorita de seus...”, fala ela. “Momentos de felicidade... amor...”, emenda Samuca. Logo, ela trata de mudar de assunto e pergunta o motivo de ele ter ido até o cortiço. “Por que viver aqui, num cortiço, Marocas? Posso conseguir um lugar melhor, basta uma palavra sua”, avisa ele.

SAMUCA PARA MAROCAS: “VOCÊ É O CENTRO DO MEU UNIVERSO”

Altiva, ela rebate. “Acha que estou mal instalada? Que esta acomodação é indigna?”, pergunta. “Claro que não! Só sei que você merece mais, Marocas, muito mais”, ressalta o empresário. “Merecemos apenas o que somos capazes de alcançar com nosso próprio esforço. Nesse momento, este é o meu lugar e é daqui que vou partir para trilhar o meu próprio caminho”, avisa.

Triste, Samuca se declara. “Eu não paro de pensar em você”, diz. Marocas fica tocada. “Mesmo num dia como o de hoje... Soube de sua destituição da presidência da Samvita. Eu sinto muito”, diz ela. “Então por que não me procurou? Ter seu apoio numa hora dessas ia fazer toda a diferença”, reitera ele.

Com semblante triste, ela responde. “Ora... não sou mais a sua noiva. Por que iria até o senhor?”, fala. “Porque a gente ainda se ama?”, diz ele, esperançoso. Mesmo hesitante, Marocas coloca um fim na conversa. “Já são horas, senhor Samuca. Estou certa de que ambos temos muito o que fazer amanhã”, avisa.

Antes de sair, Samuca fala, entristecido. “Não vou mais te incomodar”, diz. E ele olha em volta do quarto. “Não importa o lugar, se você tiver nele, é o mais bonito que existe, o centro do meu universo. Boa noite”, declara-se ele.

Marocas fica ali, sem ação. “Boas noites... Seja forte... Samuca”, deseja ela. Quando ele sai, Marocas suspira e sofre, principalmente por ele. Mas logo força um sorriso, na luta entre a tristeza e a esperança de que os dois possam se entender.



Veja Também