O Tempo Não Para: Amizade de Samuca e Elmo fica estremecida

O motivo é a quebra de "código de ética" e "traição" do empresário 


  • 29 de setembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


A relação de Samuca (Nicolas Prattes) com Walesca (Carol Castro) tem dado o que falar. Depois de ter que dar explicações a ex, Marocas (Juliana Paiva), o empresário se complica com o melhor amigo, Elmo (Felipe Simas).

Certo dia, Elmo ouve uma conversa de Coronela (Solange Couto) com a filha na pensão. “Homem rico é bom, mas dá trabalho. Ele não pode ir metendo a mão como se você fosse corrimão de escada rolante”, fala Coronela. “Não tem ninguém metendo a mão em mim!”, diz Walesca.

Elmo logo se intromete. “Tem algum ricaço folgando em você? Se tiver, me fala que eu dou uma prensa”, avisa ele.

O Tempo Não Para: Marocas põe Samuca contra a parede

O Tempo Não Para: Elmo diz estar apaixonado por Damásia

ELMO PARA MAROCAS: “NÃO TÔ QUERENDO MAIS OLHAR NA CARA DO SAMUCA”

Mais tarde, Samuca e Walesca entram aos beijos no apartamento do empresário. E logo se surpreendem com a presença de Elmo ali. “Cês dois tão juntos? Então o ricaço que a sua mãe falou era o Samuca?”, fala ele, olhando para a guarda-costas. “Calma. Deixa eu explicar, mano”, pede Samuca. “Explicar o quê? Tá tudo bem claro aqui. Eu posso ser um idiota, mas até eu entendi o que tá acontecendo”, ressalta Elmo.

Walesca avisa que deixará os dois a sós para conversarem. “Não! Quem tá dando área sou eu. Cês podem continuar aí do ponto que pararam”, avisa ele, que sai magoado. Já na pensão, Elmo está triste, numa mesa. Logo Marocas surge. Ela senta na mesa e pega a mão dela. “Você já tá sabendo, né?”, pergunta ele. E ela diz que sim.

“Tá louco. O Samuca, maior traíra comigo”, diz ele. “Lembra quando você me convidou para comer um cheese-burguer? Me falou sobre os caminhos deste século. Me aconselhou?”, pergunta ela. “Eu só faço cagada. Desculpa, eu só faço besteira”, diz ele. “Elmo, agora é a minha vez de ouvir você”, avisa ela.

E os dois vão juntos até a padaria. “Seu coração está ferido, Elmo. Mas é impossível controlar os sentimentos. Isso vale para todos nós. Tantas vezes os sentimentos se sobrepõem à razão”, fala ela. “Não tô querendo mais olhar na cara do Samuca”, avisa ele.

Mas Marocas o acalma. “Compreendo sua revolta. Mas uma amizade de tanto tempo. É precipitado encerrar dessa forma com raiva, ressentimento. Você não é assim, Elmo”, diz ela. E logo a jovem enumera várias qualidades de Elmo. “Você me entende de um jeito que nem eu me entendo”, fala ele. “Tomo isso como um elogio”, diz ela.

Ele toma as mãos de Marocas, e beija-as. Logo recua, já achando que vai tomar um tapa. Mas ela o abraça, de modo fraterno. “Folgo em saber que podemos contar um com o outro”, diz ela.

ELMO A SAMUCA: “POSSO SER UM MOLEQUE IMATURO, UM CRIANÇÃO. MAS POR NADA NESSE MUNDO IA TE TRAIR”

Outro dia na pensão, Walesca tenta conversar com Elmo, mas ele diz que não tem nada para falar com ela. Mais tarde, o jovem está no apartamento de Carmen (Christiane Torloni). E ela prepara uma sopa que ele gostava quando criança. Logo, ela entra no assunto da briga com Samuca. “Foi uma trairagem... Podia esperar isso de qualquer um, menos do Samuca”, diz ele.

Carmen lembra que eles já tiveram outras brigas, como todo amigo, irmão. “Não, dessa vez é diferente. Desculpa... Cê não tem culpa de ser mãe daquele Judas”, fala ele. Nisso, Samuca chega. “Judas?”, diz ele. E logo pede para conversar com o amigo. “Cê vacilou muito comigo”, acusa Elmo. “Me desculpa... Eu tinha que ter falado antes com você. Mas eu tava confuso”, fala ele.

Elmo diz que Samuca não pensou nele em um minuto. “Cê sempre foi meu bróder, meu companheiro da vida toda. Eu sempre amei você, tá ligado?”, diz ele, triste. “Elmo... Não é possível que esse lance destrua a nossa amizade!”, pondera Samuca. “Cê tinha que ter pensado nisso antes de enfiar a língua na garganta da Waleska!”, lembra ele.

Samuca tenta remediar. “Mas vocês não têm mais nada, Elmo... Você mesmo me confessou que tá a fim da Damásia”, ressalta o empresário. "E o nosso código de ética?”, pergunta Elmo. “Que código?”, quer saber Samuca. “Cê esqueceu? Eu e você, a gente assinou aquele papel quando tinha 12 anos. Não pode nunca pegar a mina do outro!”, fala Elmo.

“A gente era moleque!. Muito maduro, você!”, diz Samuca. E Elmo responde, sério. “Beleza, Samuca... Eu posso ser um moleque imaturo, um crianção. Mas por nada nesse mundo eu ia te trair”, diz ele, que sai, deixando Samuca arrasado.



Veja Também