O Clone: Khadija mostra coragem, contém a fúria de Said e salva Jade de levar as 80 chibatadas

O comerciante encontra mãe e filha vendendo joias na medina de Fez


13 de maio de 2022

Foto: Reprodução Globo/Montagem

Por Ana Júlia Amaral

Na última semana de O Clone, Khadija (Carla Diaz) praticamente salvará a vida de Jade (Giovanna Antonelli) da fúria de Said (Dalton Vigh). Assim que chega ao Marrocos, o comerciante avisa Ali (Stênio Garcia) que irá revirar Fez e o Marrocos até achar a filha. E avisa que, dessa vez, Jade será punida com as 80 chibatadas. Mãe e filha estão felizes na nova casa e saem para vender joias pela medina.

Nesse momento, homens de Said já estão percorrendo áreas de Fez a procura das duas. Jade e Khadija percebem que estão sendo observadas. Jade pega a mão da menina e corre com ela para as ruínas. Assustadas, elas tentam se esconder, até que Said surge cercado de vários homens. Com ódio no olhar, ele ordena. “Leva, arrasta ela para as chibatadas”. Corajosa, Khadija se põe na frente da mãe e confronta o pai. “Não, ninguém leva a minha mãe”.

Said chama a filha, ela se nega ir até ele e lhe dá um aviso. “Se você levar a minha mãe para as chibatadas, eu não quero que você seja mais meu pai. Pelo profeta, pai, pelas barbas do profeta, eu não quero ter uma mãe que leva chibatada”, diz ela, que cai em prantos. O ricaço acaba se comovendo com a dor da garota e decide aliviar Jade da punição. Ele chama Khadija, que corre para os braços do pai. “Minha princesinha”.

O empresário encara Jade. “Eu só não faço o que manda o costume, por causa da minha filha, porque ela já sofreu demais com seus desmandos. Tudo acaba, Jade. Meu amor por você também se acabou. A lâmpada se apaga quando o óleo acaba. E você nunca alimentou o meu amor por você”, acusa ele. Jade afirma que carregou a filha por 9 meses dentro da minha barriga. “Foi de dentro de mim que ela veio. Não é justo você me afastar de Khadija como seu eu fosse uma estranha”, diz ela, que chora.

Said diz que a menina não a pertence. “Os filhos pertencem ao pai”. Jade, aos prantos, fala que isso não é justo e implora ao ex. “Pelo profeta, me deixa ao menos ver a Khadija. Me aceita de volta...”. Mas Said puxa a filha e a leva dali. “Om...”, fala a garota, desolada ao se afastar da mãe. “Khadija... Eu nunca quis fazer mal a ninguém”, fala Jade. Já longe, Said se ajoelha diante da filha. “Ela escolheu assim, habiba”, fala ele, que beija a cabeça de sua menina. Jade chora, agora sozinha e arrasada.