Cara e Coragem: Moa sofre por não lembrar de seu amor por Pat. “Perdendo a coisa mais importante”

Ele descobre que os dois viviam juntos e entristece a dublê com resposta sobre sentimento por ela


11 de novembro de 2022

Foto: Globo/Estevam Avellar

Por Luciana Marques

Nos próximos capítulos de Cara e Coragem, Moa (Marcelo Serrado) descobre o motivo da tristeza de Pat (Paolla Oliveira) após perder a memória. O dublê está na casa do pai, quando sua tia Adélia (Ivone Hoffmann) pergunta o motivo de ele não ter ido para a casa da namorada. “Da Andréia?”, pergunta ele. “Não, da Pat”, diz a senhora. Moa fica confuso. “Como assim, a Pat é minha namorada?”. Milton (Anselmo Vasconcelos) tenta passar panos quentes, mas Adélia acha melhor ele saber logo a verdade, até para ajudar com lembranças.

Adélia explica que Pat se separou de Alfredo (Carmo Dalla Vecchia) e que estava namorando e morando com ele, até bater a cabeça. O rapaz olha para o pai, surpreso, e pergunta se é verdade. Milton confirma que os dois estão juntos há pouco tempo. “Mas eu não me lembro, só vem na minha cabeça a gente como amigo. Eu sabia que tinha alguma coisa errada. Eu vinha sentindo isso”, fala ele, abalado. Milton o abraça. No dia seguinte, ele chega na casa de Pat, quando a dublê prepara o almoço para as crianças.

Moa se aproxima dela, longe das crianças, e pergunta por que tem a chave da casa dela em seu chaveiro. “A gente tava namorando antes de eu bater com a cabeça, não estava?”. Ela fica surpresa e o olha com amor, percebendo a angústia dele. Pat confirma e diz que ele já estava morando na casa dela. Moa anda de um lado para o outro, tentando puxar as lembranças. “Eu não lembro”, diz ele, se sentindo ainda mais culpado por ver a tristeza de Pat. A dublê afirma ter certeza que esse sentimento tá dentro dele, perdido. “Mas por que não lembro?”. Ela fala que ele esqueceu várias coisas, inclusive de como foi a sua queda.

Moa conta que não se recorda mesmo nada da briga com Danilo. Pat pergunta se ele não lembra que ficou, junto com Rebeca (Mariana Santos), na mira de um revólver. O rapaz fala que não, que só sente um vazio. Pat se aproxima dele, carinhosa, e quer saber o que ele sente quando a olha. Moa fala que vê a sua companheira de ação, a parceira que confia, alguém que já salvou a sua vida e por quem daria a sua. “Eu quero saber se você me ama, Moa”, indaga ela. Angustiado, ele é sincero e afirma que não lembra. Pat diz que não se refere à memória, do que foi, mas do hoje, do agora.

O dublê fala que tá tudo tão confuso para ele, que não sabe nem quem é direito. “Tudo bem, você já respondeu. Vamos almoçar”, diz ela, resignada. Quando Pat segue em direção à cozinha, ele a puxa e diz que não quer ver ela triste. A dublê disfarça e garante que está bem. “Mesmo? Porque eu acho que você me ama. E tá barra eu não lembrar da gente”. Pat brinca chamando-o de Mister Ego e diz que o melhor é eles irem almoçar. “Tô falando sério. Eu acho que perdi, ou estou perdendo, a coisa mais importante da minha vida”, constata ele. Os dois se abraçam, sofridos.