Conheça Gabriel Máximo: Noivo de Pabllo Vittar em clipe e Cauã Reymond em filme

Aos 24 anos, formado em Direito, ator fala dos sonhos na carreira


29 de julho de 2021

Foto: Giselle Dias

Gabriel Maximo chamou a atenção do público ao participar do clipe Ama Sofre Chora, da cantora Pabllo Vittar. No vídeo, ele interpreta o noivo que a abandona no altar. Nas redes sociais, viu aguçada a curiosidade dos fãs da estrela para saber mais sobre ele. Formado em Direito, com 24 anos, Gabriel nasceu em Barra Mansa, Rio. E, desde 2017, emenda trabalhos no teatro, como nos espetáculos Sim, mas não prometo, de Daniel Herz, e Mãe Coragem e seus filhos, de Brecht.

Ainda este ano, ele interpretará o ator Cauã Reymond no longa-metragem O Faixa Preta: a verdadeira história de Fernandinho Tererê. Apaixonado por TV, ele quer fazer novelas e tem seus autores favoritos: João Emanuel Carneiro, Walcyr Carrasco e Daniel Ortiz. “Desde bem novo, eu sempre gostei dessa ideia de “entrar” na casa das pessoas pelas novelas e filmes”, fala.

O que mudou na sua vida depois de participar do clipe com a Pabblo? Me trouxe mais segurança sobre o meu trabalho, em outra esfera que eu ainda não tinha trabalhado. Foi a minha primeira vez atuando num clipe e foi muito especial para mim, pois eu sou um amante da música e compositor.

Acha possível ver você em algum vídeo, como continuação, com a cantora? Eu sempre recebo mensagens me perguntando isso (risos). Acho que seria muito legal. Vamos ver...

Foto: Ernna Cost

Você tem um filme para estrear. Está ansioso? Estou sim! É um projeto muito especial sobre uma história verdadeira de muitos altos e baixos de Fernando Tererê, um dos maiores nomes do mundo do jiu-jitsu, e fazer o papel do Cauã Reymond, que era amigo próximo de Tererê, foi uma honra.

Você tem alguma novela que seja um marco para você? Avenida Brasil, com certeza. Eu não perdia um capítulo. Verdades Secretas também foi incrível. Mais novo, eu me lembro muito de Chocolate com Pimenta, Alma Gêmea, Cobras e Lagartos e o Beijo do Vampiro, entre várias outras.

Se tivesse um remake, qual papel gostaria de viver? Meu sonho é fazer um personagem complexo, cheio de camadas e que deixe dúvidas no público, que ele não seja tão mal assim, ou tão bom assim. Algo que fuja do comum. E iria adorar fazer o Roque Santeiro, de Dias Gomes, foi a minha primeira peça de teatro e ideia de nossa genial diretora, Chia Rodriguez, e fui o padre Seu Vigário, foi muito especial para mim e para estudo eu assisti a novela, achei muito incrível e adoraria viver Roque Santeiro numa fase mais jovem, com certeza.

Com qual ator ou atriz você gostaria de contracenar? Ah, tenho muitos, mas os brasileiros... Eu adoraria contracenar com o Cauã, Caio Blat, Lazaro Ramos, Marcos Nanini... Adoraria trabalhar também com Leandra Leal, Adriana Esteves... Adoro também a Karine Teles, e várias outras atrizes.

Tem algum autor que você admire? Tem tantos que é difícil dizer um só (risos). Eu virei fã do Joao Emanuel Carneiro depois de Avenida Brasil. Walcyr Carrasco também!  E agora eu virei fã do Daniel Ortiz assistindo Salve-se quem puder, que foi uma novela pra cima e divertida. Um “refresco” para esse momento de pandemia.

Com o avanço dos trabalhos, você ficará cada vez mais conhecido. Você se sente pronto para essa exposição? Eu acho que me assusta, mas eu sempre quis isso, desde criança sempre gostei de teatro. Eu escolhi isso pela emoção e pelo amor à arte, que é o que me completa. E se essa exposição vier pelo reconhecimento da minha profissão, ficarei muito feliz e realizado.

Quais são os seus próximos projetos? O que pode contar? Contar eu não posso contar ainda, mas estou explorando o terror. 

 

VEJA O CLIPE AMA SOFRE CHORA COM PARTICIPAÇÃO DE GABRIEL MAXIMO