Noite histórica: Central do Brasil é exibido 20 anos após estreia

Emoção de Walter Salles, Vinícius de Oliveira e Fernanda Montenegro no Festival do Rio


  • 06 de novembro de 2018
 FOTO: DAVI CAMPANA/R2FOTO


Como sempre, o Festival do Rio tem aquelas noites que ficarão para a história. Este ano, um destes momentos foi a exibição de cópia restaurada do emblemático Central do Brasil, 20 anos depois do seu lançamento, no Estação NET Botafogo, 1, no Rio.

Nas primeiras fileiras da sala, o diretor Walter Salles, o diretor de fotografia Walter Carvalho e os protagonistas Fernanda Montenegro, Vinicius de Oliveira e Othon Bastos. “Rever esse filme é comovente. Dolorosamente, aquela história ainda é a história de hoje”, constatou Fernandona.

Walter Salles, Vinicius de Oliveira, Fernanda Montenegro e Othon Bastos. Foto: Davi Campana/R2Foto

Julia Lemmertz dá às boas-vindas ao Festival do Rio 2018

Fernanda Montenegro: “Quem acredita na fama está perdido”

WALTER SALLES RECEBE TROFÉU DAS MÃOS DE CACÁ DIEGUES

Na mesma noite, o diretor Walter Salles foi homenageado com o Prêmio José Carlos Avellar por Central do Brasil. Ele recebeu o troféu das mãos do cineasta Cacá Diegues.

“Eu queria agradecer ao Cacá pelos filmes que fez, e acho que sem Bye Bye Brasil (1980), sem Chuva de Verão(1978), Xica da Silva (1976), eu não teria tido o desejo de fazer cinema, meu muitíssimo obrigado”, disse ele.

Walter Salles recebe troféu de Cacá Diegues e da diretora do Festival Ilda Santiago. Foto: Davi Campana/R2Foto

ATUAÇÃO NO LONGA LEVOU FERNANDA MONTENEGRO AO OSCAR

Central do Brasil rendeu inúmeros prêmios nacionais e também internacionais a Walter Salles. O longa faturou o Urso de Ouro, no concorrido Festival de Berlim (Melhor Filme), além do Urso de Prata, para Fernanda Montenegro (Melhor Atriz).

Venceu também o Globo de Ouro na categoria Melhor Filme, além das indicações ao Oscar nas categorias Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Atriz, para Fernanda Montenegro.

Foto: Reprodução Instagram

O filme gira em torno de Dora (Fernanda Montenegro), que trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no Centro do Rio. Mesmo não enviando todas as cartas - as que considera inúteis ou fantasiosas -, ela decide ajudar um menino (Vinícius de Oliveira), após sua mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste. 



Veja Também